Sem categoria

Como usar a caseína?

caseinaA caseína compõe uma das frações protéicas do leite, estando em maior concentração que as proteínas do soro no leite de vaca. Existem cinco tipos de caseína presentes no leite, sendo que estas se encontram organizadas na forma de micelas (como se fossem pequenas gotículas) unidas através de ligações de fosfato de cálcio, compondo assim as conhecidas micelas de caseína, sendo a formação destas, essencial para manter o equilíbrio do leite.

Algumas frações de caseína são apolares, e isso não permite que as mesmas fiquem em contato com a água, outras são sensíveis ao cálcio e sendo assim não podem estar em contato com esse. Como esses dois tipos encontram-se em elevadas quantidades no leite, a Kappa-caseína (uma das frações), que pode estar em contato com ambos, envolve as demais caseínas compondo as micelas e mantendo o estado fluido do leite.  Elas são consideras proteínas de liberação lenta, ou “time release”.

Por ser uma proteína de lenta metabolização tem excelente capacidade em evitar a quebra da massa magra (o catabolismo proteico), além de atuar estimulando a síntese de proteínas, apesar deste estímulo ser menor do que o fornecido pelas proteínas do soro do leite (whey protein). A caseína em sua forma micelar gera, após sua ingestão, um fluxo constante de aminoácidos na corrente sanguínea mantendo um amplo espectro dos mesmos no sangue por um período aproximado de 7 horas após a sua ingestão.

Uma das incríveis propriedades da caseína micelar é a de formar uma espécie de gel no intestino. É este gel que garante que os aminoácidos presentes na caseína sejam liberados gradualmente no organismo, o que faz dela uma perfeita proteína para ser usada para a prevenção do catabolismo muscular e para inibir os hormônios catabólicos como o cortisol, responsáveis pela queima da massa magra. Além da propriedade citada acima, quando a caseína está presente no estômago, tem a capacidade de ligar-se a alguns receptores opióides. Isso irá cursar com uma ação de redução do peristaltismo fazendo com que o tempo de absorção seja aumentado.

A melhor forma de usar a caseína é antes de dormir, pois o sono é um período de jejum e isso favorece a ocorrência do catabolismo protéico ao acordarmos. Além disso, durante o sono ocorre a secreção de hormônios anabólicos (que constroem os músculos), como por exemplo, o hormônio do crescimento, e estes podem se favorecer da liberação gradual de aminoácidos promovida pela caseína para a construção de massa muscular, afinal não basta apenas o estimulo promovido pelos hormônios, precisa-se ainda do substrato para a construção muscular.

Outro momento interessante para usar a caseína é cerca de 16 horas depois do exercício. Nesse momento, o corpo está com uma demanda por proteína muito grande. O uso de uma proteína de liberação mais lenta seria ideal para quem tem interesse na hipertrofia muscular.

Essa proteína pode ser encontrada em diversos suplementos, como os hiperproteicos ou isoladamente. Os melhores hiperproteicos devem possuir a caseína na forma micelar, pois estes terão um maior tempo de ação no organismo. Sua apresentação é em pó, podendo ser diluída em água ou leite, a depender da preferência e dieta do individuo.

A caseína, ou produtos que contenham esse ingrediente, não deve ser consumida logo após o exercício físico. Nesse momento, recomenda-se o uso de uma proteína de liberação mais rápida, como a whey protein.

Algumas pessoas usam caseína em outros momentos do dia, como complemento à alimentação, sendo uma forma de enriquecer a dieta com proteína. Isso é interessante quando o consumo proteico estiver baixo, ou quando houver a necessidade de um consumo maior de proteína em determinado horário.

A caseína, quando bem indicada, traz diversos benefícios. Acompanhe nossas notícias e se atualize para usar ou indicar esse e outros suplementos da melhor forma possível.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.