Sem categoria

Álcool e Musculação

beerDizer que o álcool é um vilão para a saúde não é novidade pra ninguém. O álcool é uma substancia tóxica que pode causar sérios danos, que variam dependendo da quantidade ingerida, do tempo de consumo e de características individuais, dentre outros fatores.

A conversa de que o álcool colabora para o aparecimento da famosa barriguinha também é velha, não é mesmo? Sabe-se também que o álcool pode prejudicar outras atividades como os esportes, a concentração, o desempenho no trabalho e por aí vai…

E você, praticante de musculação, será que pode se prejudicar com aquela bebidinha?! Os estudos nos levam a crer que sim! As pesquisas com animais mostram que o consumo de bebida alcoólica leva a uma intoxicação aguda ou “transitória” e os níveis elevados de álcool no sangue podem prejudicar vários processos no organismo, dentre eles, a síntese proteica.

A síntese de proteínas e, conseqüentemente, o ganho de massa muscular, podem ser estimulados por fatores como o exercício de musculação e a disponibilidade dos aminoácidos, provenientes da alimentação e/ou da suplementação. Nesse papel de estimular a síntese de proteínas, um dos principais aminoácidos é a leucina, cuja função nesse processo já é bem conhecida. Os estudos com ratos demonstram que, ainda que o organismo tenha uma maior quantidade de leucina disponível duas horas e meia após o consumo de álcool (momento em que o organismo está intoxicado), o estímulo para a síntese de proteínas por esse aminoácido fica limitado. Em um dos estudos, a intoxicação aguda por álcool reduziu a síntese proteica em aproximadamente 70%. Ainda que a leucina tenha exercido seu papel e que as proteínas tenham sido sintetizadas na musculatura de todos os ratos, aqueles que tinham níveis alcoólicos maiores a taxa de síntese foi significativamente menor. Esta diminuição da síntese de proteínas musculares ocorreu tanto em ratos mais jovens como em ratos mais maduros.

Como a síntese de proteínas musculares é dependente de diversas particularidades celulares, não se sabe exatamente qual o mecanismo responsável pela diminuição desta síntese. Fatores hormonais, como o aumento de glicorticóides na corrente sanguínea decorrentes da ingestão alcoólica, também podem ter relação com os prejuízos na síntese proteica.

Os estudiosos não estimam quantas doses de álcool seriam necessárias para causar os mesmos efeitos em humanos, mas acreditam, por exemplo, que a perda de músculos característica dos indivíduos que abusam do álcool de forma crônica tem forte relação com a menor síntese proteica decorrente intoxicação pela bebida.

Ainda que não saibamos se são necessários muitos copos de cerveja ou de caipiroska para que tenhamos prejuízos no ganho de massa muscular, é sempre bom estarmos preocupados com a saúde e atentos aos nossos hábitos!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0