Sem categoria

Intervenções nutricionais em jogadores de futebol

FutebolO futebol é um dos esportes mais populares do mundo, especialmente em nosso país, e muito da paixão dos seus adeptos advém da incerteza que caracteriza uma partida. Inúmeros fatores podem interferir no resultado de um jogo, e particularmente, a nutrição dos atletas pode fazer a diferença entre uma vitória e uma derrota.

O jogo de futebol é realizado a uma intensidade muito elevada, de forma intermitente e com de fases de esforço e de repouso em seqüências aleatórias. Além disso, as exigências físicas são diferentes para cada jogador, a depender da sua posição em campo e o seu papel táctico específico. Os goleiros têm os níveis de impulsão mais elevados. Os zagueiros cobrem uma menor distância no relvado e realizam menos corridas de alta intensidade que os jogadores das outras posições. Os laterais percorrem uma extensão considerável em corrida de alta intensidade e sprint (corridas curtas de alta velocidade), no entanto, realizam menos cortes e cabeceamentos que zagueiros, meio-campo e atacantes. Os jogadores do meio campo percorrem maiores distâncias, porém têm, por outro lado, menor impulsão que os outros jogadores. Os atacantes realizam mais movimentos de sprint e corrida a alta intensidade. Assim, deve-se considerar as diferenças individuais no estilo de jogo e aptidão física de cada jogador quando do planejamento do treino e estratégia nutricional.

Em função da sua duração, o futebol é principalmente dependente do metabolismo aeróbio, sendo o glicogênio o substrato energético mais importante. Porém, em ações curtas e intensas, a taxa de metabolismo anaeróbio torna-se alta, sendo utilizada a fosfocreatina. A glicólise promove acúmulo de lactato, causando fadiga, e são necessários períodos de ações de menor intensidade para a remoção deste lactato dos músculos em exercício.

As particularidades da alimentação de um jogador de futebol passam por maiores necessidades energéticas, um alto consumo de carboidratos para aumentar as reservas de glicogênio, uma especial importância à hidratação e especificidades dos momentos de ingestão e composição das refeições antes, durante e após o exercício.

 Antes do exercício, a alimentação deve ser rica em carboidratos, preferencialmente os de baixo índice glicêmico, o que resulta em níveis mais estáveis de glicose sanguínea e maior sensação de saciedade durante o exercício. Durante o exercício, uma estratégia interessante é a ingestão de uma solução com carboidratos e eletrólitos, que podem aumentar a performance física, técnica e mental. Assim, as bebidas desportivas são opções vantajosas para serem consumidas durante o exercício, já que além de promoverem a hidratação, repõem os eletrólitos perdidos pelo suor. No momento pós-exercício, alimentos ricos em carboidratos com IG moderado a alto aparentam ser mais vantajosos do que os com baixo IG, para a síntese de glicogênio.

O exercício está relacionado com o aumento da produção de espécies reativas de oxigênio (EROs) responsáveis pelo estresse oxidativo. Este, por sua vez, implica em danos musculares e redução da função imunitária, afetando a performance física. Desta forma, os nutrientes antioxidantes são importantes na alimentação dos atletas, por desempenharem um papel importante na proteção das membranas celulares.

O uso adequado de alguns suplementos pode contribuir para um melhor desempenho no futebol. Dentre eles, os mais utilizados pelos futebolistas são a cafeína e a creatina. A cafeína aumenta a performance de endurance, melhora o tempo de reação, a atenção mental e o processamento visual numa partida de futebol; a creatina, por sua vez, contribui para melhorar a recuperação após o exercício, estimular o poder e força muscular e aumentar o volume do músculo. A degradação de ATP é poupada durante contrações musculares de alta intensidade quando as concentrações musculares de creatina estão aumentadas. Alguns estudos têm demonstrado o êxito de outros suplementos em futebolistas, como por exemplo a glutamina dipeptídeo,  no aumento da tolerância ao exercício, e a β-alanina, no aumento da capacidade de tamponamento muscular e atraso da fadiga.

Além de melhorar sua saúde e performance, o futebolista pode evitar lesões através da adoção de hábitos alimentares adequados; por isso, é de fundamental importância a contribuição da nutrição para otimizar o rendimento destes atletas.

 

Naiara Brunelle faz parte da equipe de Nutrição da SNC de Salvador. Ela é graduanda em Nutrição pela UNEB.

 

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail      nutricao@sncsalvador.com.br

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Curta a nossa página no Facebook e não perca nenhuma notícia e/ou promoção

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.