Por que um maratonista recordista mundial não se sobressai numa corrida de curta distância?

RunA resposta é simples: porque exercícios distintos recrutam substratos energéticos específicos. A contribuição relativa dos diferentes sistemas de transferência de energia difere acentuadamente de acordo com a modalidade, intensidade e duração do exercício, bem como com o estado de aptidão do atleta.

Os substratos utilizados na obtenção de energia são carboidratos, ácidos graxos e proteínas, os quais são metabolizados pelas vias aeróbia e anaeróbia, que envolvem a produção de ATP. Exercícios de alta intensidade e curta duração requerem um fornecimento de energia imediato, que é decorrente dos fosfatos intramusculares de alta energia: ATP e fosfocreatina. Para continuar realizando um exercício vigoroso, a ressíntese do ATP e da fosfocreatina terá que acontecer num ritmo muito rápido. Assim, a produção de ATP passa a depender também do sistema glicolítico. A energia durante exercícios com duração superior a 10 segundos provém principalmente do glicogênio muscular, por meio da glicólise anaeróbica e, consequentemente, com formação de lactato. Quando o exercício passa de alguns minutos, a glicólise não consegue mais suprir as demandas de produção de ATP e o metabolismo aeróbico proporciona a maior parte da transferência de energia.

A alocação de energia para o exercício, proveniente de cada forma de transferência energética, progride ao longo de um continuum. O controle da disponibilidade dos substratos energéticos no exercício é determinado em grande parte por ajustes hormonais, favorecendo a mobilização dos triglicerídeos do tecido adiposo e muscular e do glicogênio muscular. Desse modo, se sobressai o atleta que possui uma capacidade bem desenvolvida tanto para o metabolismo anaeróbio quanto aeróbio.

 É importante ressaltar que a energia no exercício não é produto de sistemas energéticos independentes, mas sim de uma combinação harmoniosa destes, havendo superposição de uma modalidade de energia para a outra a depender da demanda. Compreender os mecanismos que regulam o metabolismo energético nas diversas modalidades esportivas é fundamental para a elaboração de estratégias nutricionais individualizadas que garantam melhores adaptações do atleta ao exercício. 

 

Naiara Brunelle faz parte da equipe de Nutrição da SNC de Salvador. Ela é graduanda em Nutrição pela UNEB.

 

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail       nutricao@sncsalvador.com.br

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Curta a nossa página no Facebook e não perca nenhuma notícia e/ou promoção

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *