BCAAs como aliados para o emagrecimento

BCAACada vez mais, tem se expandido o debate sobre o equilíbrio ideal de macronutrientes para a perda de peso. Muitas vezes, esse debate gira em torno dos carboidratos e lipídios, no entanto, ultimamente os estudos científicos têm proposto que dietas com maior teor de proteínas e redução de carboidratos são eficientes para o emagrecimento. Há evidências de que essas dietas resultem numa maior perda de gordura corporal e redução da perda de massa magra.

Nesse contexto, os três BCAAs (leucina, valina e isoleucina) surgem como aminoácidos de grande importância na dieta, pois participam de numerosos processos metabólicos, dentre eles, a modulação da síntese proteica. Layman e Walker (2006) propõem que os efeitos benéficos de uma dieta com maior teor proteico incluem os papéis da leucina, poupando perda muscular e melhorando o controle glicêmico.

Os múltiplos papéis da leucina são, pelo menos em parte, associados à ausência das aminotransferases de cadeia ramificada no fígado, o que faz com que o metabolismo dos BCAAs ocorra primariamente no músculo. BCAAs dietéticos chegam ao sangue praticamente inalterados, permitindo que a leucina atinja o músculo esquelético em proporção direta com a ingestão dietética.

Durante os períodos catabólicos, tais como jejum ou restrição de energia, a suplementação com leucina ou uma mistura completa dos três BCAAs estimula a síntese de proteínas musculares; da mesma forma acontece no momento pós-exercício. O mecanismo pelo qual este processo ocorre está relacionado ao fato do aumento da concentração intracelular de leucina promover a ativação de mTOR, proteína quinase que dá início à tradução do RNAm em proteínas.

Adicionalmente, tem sido relatado um efeito termogênico da leucina. ZEMEL & BRUCKBAUER (2012) demonstraram que a leucina promove redução do armazenamento de energia nos adipócitos e aumento da utilização de ácidos graxos no músculo. Os pesquisadores avaliaram um nutracêutico que continha leucina e piridoxina na oxidação da gordura, em indivíduos com excesso de peso e obesidade. Os dados demonstraram que a supressão do armazenamento de lipídios nos adipócitos se deu por meio de uma inibição da expressão de genes lipogênicos.

Em 2010, foi avaliada por NISHIMURA e colaboradores a ação da isoleucina na prevenção do acúmulo de tecido adiposo. O estudo realizado em ratos demonstrou que o grupo suplementado com isoleucina teve um menor tecido adiposo branco epididimal que o grupo controle, além de uma diminuição dos níveis de triglicerídeos e no grau de hiperinsulinemia. Os níveis de proteínas desacopladoras (UCP2 e UCP3) no músculo esquelético foram maiores em todos os ratos suplementados, sugerindo aumento da termogênese.

Inúmeros estudos têm demonstrado os efeitos benéficos da suplementação de BCAAs na preservação da proteína muscular e na melhora do controle glicêmico. O controle da síntese de proteínas promove manutenção da proteína muscular, o que está diretamente relacionado à taxa metabólica basal e, consequentemente, ao gasto energético. Portanto, aminoácidos de cadeia ramificada têm papel importante na redução de gordura corporal e podem ser aliados no tratamento da obesidade. 

 

NaiaraNaiara Brunelle faz parte da equipe de Nutrição da SNC de Salvador. Ela é graduanda em Nutrição pela UNEB.

 

 

 

 

 

 

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail         nutricao@sncsalvador.com.br

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Curta a nossa página no Facebook e não perca nenhuma notícia e/ou promoção

 



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *