Sem categoria

A serotonina interfere na temperatura corporal?

ID-100122577Extremamente famosa por sua funcionalidade de proporcionar a sensação de bem-estar e saciedade, a serotonina é alvo de diversos estudiosos por ser um neurotransmissor de característica multifuncional.

Para entender sua implicação nas diversas reações orgânicas, é preciso ter domínio sobre todo o Sistema Serotoninérgico, que incluem neurônios, receptores específicos e a própria serotonina, tendo como centro funcional os núcleos da rafe, parte do Sistema Nervoso Central (SNC). Porém, como este sistema envolve cerca de 14 receptores diferentes presentes em diversos tecidos corporais, a atuação da serotonina pode implicar em numerosas efetividades, inclusive sobre a temperatura corporal.

Abaixo da temperatura corporal mínima os mecanismos termorregulatórios são acionados para incrementar a produção e retenção de calor, compensando a perda de calor para o ambiente, que se encontra frio. Já acima da temperatura máxima estes mecanismos são requeridos para auxiliar a dissipação do calor para o ambiente, o suor é um exemplo clássico desta estratégia corporal. Apesar de bem estudada, a função do sistema serotoninérgico quanto aos mecanismos de ação dos efeitos excitatórios ou inibitórios sobre temperatura corporal ainda não estão bem estabelecidos.

Já se sabe que a ausência da atividade serotoninérgica está relacionada a estados de hipotermia, atestando sua efetividade hipertérmica, onde alguns estudos apoderam este efeito à ativação do receptores intitulados 5-HT2. No entanto, sua ativação pode também interferir no comportamento sono-vigília induzindo o estado de hipotermia para o estabelecimento do sono profundo, por meio da liberação de alfa-melanocorticotrofina (hormônio que influencia nos efeitos criogênicos) e de receptores 5-HT1, responsáveis pela recaptação de serotonina na fenda sináptica.

A atuação da serotonina em defesa ao frio nos pequenos mamíferos desempenha papel crítico na indução de níveis fisiologicamente relevantes na termogênese do tecido adiposo marrom, uma vez que estes seres são bem dotados deste referendado tecido responsável, em grande parte, pela temperatura corporal nesta fase inicial da vida.

Dotada de efeitos contraditórios, eis que surge a dúvida: a serotonina interfere na termorregulação ou a temperatura corporal influencia na liberação de serotonina? Os dois. Todo e qualquer recurso orgânico regido pelo SNC sempre envolverá inúmeras reações por conta de sua complexidade, todavia, assim como a serotonina desempenha papel extraordinário sobre o bem-estar humano, é de se esperar que tenha efeito sobre a regulação térmica corporal, uma regulação que rege diversas respostas reacionais no organismo com consequente efeito sobre o comportamento humano.

 

Lara Lara Gabriela faz parte da equipe de Nutrição da SNC de Salvador. Ela é graduanda em Nutrição pela UNEB.

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail   nutricao@sncsalvador.com.br

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Curta a nossa página no Facebook e não perca nenhuma notícia e/ou promoção.

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.