Sem categoria

Por que utilizar Hiperproteicos?

 

 

 

HiperproteicoSuplementos proteicos são os mais populares em todo o mundo, principalmente entre os praticantes de atividade física, devido à capacidade de aumentar o balanço nitrogenado diário, aumentar ressíntese de ATP no pós-treino, evitar a anemia esportiva por meio do aumento da síntese de hemoglobina, mioglobulina e enzima oxidativas durante o exercido aeróbio, melhorar a recuperação tecidual e a resposta imunitária do organismo, entre outros fatores. As fontes proteicas mais usadas na suplementação são: proteínas do leite e seus derivados (proteínas do soro ou Whey Protein, e caseínas, nas suas formas α, β, κ, γ e micelar), ovo, carnes e as provenientes de grãos, como a soja, trigo, arroz, milho.

Normalmente, os suplementos denominados hiperproteicos, contém blends de proteínas, ou seja, em um mesmo produto é possível encontrar diversos tipos de proteínas de alto valor biológico, sendo Whey, Caseína, albumina, proteína isolada da soja, proteína do trigo (Glutamina peptídeo), as mais encontradas. Nestes produtos, pode haver ainda carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais.

O objetivo que se ter tantos tipos de proteínas em um mesmo produto se deve à velocidade e forma de digestão e absorção de cada uma delas. Segundo Reidy, et al. (2012), existem discordâncias em relação à superioridade dos efeitos de diferentes fontes de proteína sobre a síntese proteica muscular, devido à fatos que incluem a qualidade da proteína, ou seja composição de aminoácidos e sua taxa de digestão (rápida, intermediária ou lenta). Quando estas proteínas são co-ingeridas, a lenta digestão da caseína contribui para uma aminoacidemia prolongada a fim de manter os níveis sanguíneos adequados para as demandas do organismo, para favorecer o crescimento muscular e supressão da degradação proteica muscular.

Entre as principais proteínas utilizadas nestes produtos, destacam-se, o soro de leite (Whey Protein) induz um aumento rápido, elevado e transitório de aminoácidos plasmáticos, e por ser rica em BCAAs, principalmente a Leucina, estimula síntese proteica muscular. A soja, que possui uma digestão com velocidade intermediária e é extremamente rica em aminoácidos essenciais, favorecendo a manutenção da aminoacidemia sanguínea. E a caseína, ao contrário do soro do leite, coagula no ambiente ácido estomacal, o que retarda o seu esvaziamento gástrico e induz um aumento pós-prandial lento de aminoácidos plasmáticos. A caseína possui um bom perfil de aminoácidos essenciais, porém a quantidade de leucina presente nesta fração proteica parece ser o suficiente apenas para suprimir a degradação proteica muscular. A suplementação também reduz a ação de hormônios catabólicos, como o cortisol.

Os Blends proteicos ou hiperproteicos têm por finalidade manter os níveis de aminoácidos no sangue adequados para atender a demanda muscular. Sendo assim, este produto possui melhor aproveitamento quando administrado em momentos onde ocorrem grandes períodos em jejum, sendo o horário antes de dormir, o ideal, já que dentro de uma dieta nutricionalmente adequada e equilibrada, a proteína dietética deve ser fracionada ao longo do dia, a fim de manter essa aminoacidemia sanguínea adequada. Por isso, procure um Nutricionista para a avaliação e adequação das suas necessidades energéticas.

 

Priscila Teles faz parte da equipe de Nutrição da SNC de Salvador. Ela é graduanda em Nutrição pela UFBA. 

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail       nutricao@sncsalvador.com.br      .

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Curta a nossa página no Facebook e não perca nenhuma notícia e/ou promoção

 

 

 

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.