EXISTE DIFERENÇA ENTRE AS CREATINAS?

CreatinaA creatina é considerada um dos suplementos alimentares mais conhecidos no mundo, e isso se deve ao fato desse composto aumentar a resistência e forçar muscular durante os exercícios de curta duração e alta intensidade. O tipo de creatina que tem sido mais explorada e utilizada é a monohidratada(CRM).

É denominada como um ácido metil guanidina acético, o qual se encontra presente nos alimentos de origem animal como, carnes, peixes e aves, contudo, a quantidade de creatina ingerida através da dieta é de apenas 1 g/dia, no organismo ocorre à síntese endógena no fígado, rim e pâncreas através de dois mecanismos envolvendo os aminoácidos L-arginina e glicina tendo também a metionina como doadora de metila, a absorção celular de creatina é controlada pela proteína transportadora específica Creat-T e é dependente do canal sódio cloreto. A produção endógena somada à obtida na dieta se iguala à taxa de degradação espontânea da creatina formando creatinina que é excretada através da urina.

A suplementação de creatina é capaz de aumentar o conteúdo muscular de creatina e fosfocreatina (CrP) em torno de 15 a 40%, melhorando a capacidade do exercício anaeróbico, e aumento o volume de treinamento, o que promove os maiores ganhos de força, energia e massa muscular, através do mecanismo de ressíntese de ATP, com a fosforilação da molécula de ADP, possibilitando o fornecimento de energia rápida durante a contração muscular, além disso, tem sido atribuído à creatina muitos benefícios terapêuticos como na artrite, insuficiências cardíacas congestivas, distúrbios cerebrais entre outros.

A forma mais comum de suplementação de creatina é como creatina monohidratada que não diferem entre si, algumas possuem um selo de qualidade, chamado creapure, que na realidade é uma patente da Alemanha que fabrica e distribui essa creatina, mas existem outros tipos de creatina, como a creatina etil ester, creatina malato, creatina citrato, creatina piruvato, creatina α-cetoglutarato, creatina ketoisocaproato, creatina metil ester, hidrocloreto de creatina, creatina alcalinizada, entre outras diversidades.

Cada tipo de creatina possui uma formulação diferente, podendo ser adicionando substâncias, como sais, cetoácidos,  ou correção do pH, ou até mesmo a diminuição do tamanho da partícula, tudo isso para garantir a melhor absorção do produto e menor conversão em creatinina, contudo, muitas promessas realizadas pelos fabricantes podem ser apenas marketing, não possuindo comprovações científicas de melhores resultados.

 

Mayara Cardoso faz parte da equipe de Nutrição da SNC de Salvador. Ela é graduanda em Nutrição pela UNEB.

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br.

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Curta a nossa página no Facebook e não perca nenhuma notícia e/ou promoção.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *