Termogênicos: potencializando a dinâmica fisiológica

termoO mecanismo fisiológico de termorregulação nos permite produzir calor vital e situacional a partir do gasto energético, determina assim o poder de adaptação a determinadas circunstâncias térmicas nos categorizando como animais homeotermos. Mas será possível utilizar estratégias que amplifiquem a termogênese? Descubra em quais situações este mecanismo pode ser benéfico e suas limitações.

O processo de produção de calor é definido por termogênese obrigatória e facultativa, ambas acontecem a partir da produção de ATP (adenosina trifosfato) e sua utilização. A molécula de ATP é considerada “moeda energética” por sua efetividade em armazenar energia temporariamente, mediada por proteínas desacopladoras transmembrana (UCPs) utilizada como mecanismo compensatório para manutenção do equilíbrio eletroquímico das membranas mitocondriais, onde todo esse processo acontece. 

Os termogênicos são uma classe de suplementos que reúnem, primordialmente, substâncias estimulantes que atuam promovendo a oxidação de gorduras com consequente produção de calor, traçando uma correlação direta no aumento do gasto energético. Em sua maioria, estas substâncias têm efeitos estimulantes sobre o Sistema Nervoso Central, atuando nos receptores beta adrenérgicos de neurônios simpáticos nos tecidos alvos. Podem ser úteis em estratégias de perda de peso por aumentar a taxa de metabolismo basal e aperfeiçoar o desempenho em exercícios físicos que requerem maior gasto energético, uma vez que o favorecimento da oxidação de gordura permite poupar os estoques de glicogênio, além de proporcionar “aquele up” quando precisamos de estímulo durante o exercício ou mesmo quando precisamos permanecer acordados.

Por conta deste efeito sistêmico o organismo pode responder com o aumento do fluxo sanguíneo, secreção gástrica e elevação do estado de alerta. Sendo assim, algumas situações clínicas limitam o uso desta classe de suplementos como quadros de hipertensão, distúrbios gastrointestinais, transtornos psiquiátricos e insônia, devendo-se também analisar possíveis interações medicamentosas.

Há uma gama destes produtos no mercado e, segundo fabricantes, apresentam-se em diferentes categorias (intitulados de liberação pontual ou gradual) e combinações de substâncias estimulantes, dentre elas as mais presentes são cafeína, sinefrina, ioimbina, evodiamina, capsaicina e teobromina. Independentemente da concentração, os termogênicos, quando pertinente, devem ser consumidos a partir da menor dose possível, por conta da sensibilidade existente em cada indivíduo. Para melhor aproveitar os benefícios ofertados por estes produtos e fazer adequado consumo para devidos fins, consulte um nutricionista.  

 

Lara Lara Gabriela faz parte da equipe de Nutrição da SNC de Salvador. Ela é graduanda em Nutrição pela UNEB.

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail  nutricao@sncsalvador.com.br .

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Curta a nossa página no Facebook e não perca nenhuma notícia e/ou promoção.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *