Suplementação para emagrecimento na Síndrome Metabólica

 

 

 

 

ID-100223727A definição da síndrome metabólica ainda não apresenta consenso na literatura, dado que cada órgão internacional adota alguns critérios para a sua definição. A Síndrome Metabólica (SM) tem sido alvo de muitos estudos nos últimos anos. Ela pode ser definida como um grupo de fatores de risco inter-relacionados, de origem metabólica, que diretamente contribuem para o desenvolvimento de doença cardiovascular (DCV) e/ou diabetes do tipo 2. São considerados como fatores de risco metabólicos: dislipidemia aterogênica (hipertrigliceridemia, níveis elevados de apoproteína B, partículas de LDL colesterol pequenas e densas e níveis baixos de HDL colesterol), hipertensão arterial, hiperglicemia e um estado pró-inflamatório e pró-trombótico (PENALVA, 2008).  

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a SM é definida pela presença de resistência a insulina, juntamente com a presença de outros 2 componentes acima referidos. Já para a Federação Internacional de Diabetes o diagnostico de SM se dá através da presença de obesidade abdominal juntamente com outros 2 fatores de risco, enquanto que a definição do Programa Nacional Americano de Educação de Adultos com Colesterol Elevado afirma que para o diagnostico da SM se torna necessário apenas a presença de 3 dos vários fatores causadores da SM (STEEMBURGO, 2007).

A obesidade contribui para a hipertensão, níveis elevados de colesterol total, baixos níveis de HDL colesterol e hiperglicemia, que por si próprios estão associados a um risco elevado de doença cardiovascular. A obesidade abdominal se correlaciona com fatores de risco metabólicos.

Nesta perspectiva, os pesquisadores vêm analisando novas formas de tratamento para a síndrome metabólica, recorrendo a dietas, mudanças de estilo de vida, a prática de exercícios físicos e suplementação.

 Alguns estudos têm analisado o papel de fatores dietéticos e a suplementação relacionados à Síndrome Metabólica, o uso do Omega 3 no tratamento da síndrome metabólica tem-se mostrado eficaz, dado que o Omega 3 apresenta propriedades anti inflamatórias, melhora o perfil lipídico, aumentando o HDL e diminuindo o LDL, melhora a sensibilidade a insulina, diminui a pressão sanguínea, aumenta a síntese de massa magra e com isso aumenta a termogênese, contribuindo para a redução do peso nestes pacientes, melhorando dessa forma os fatores desencadeadores da SM, atenuando os seus efeitos deletérios a saúde.

Estudos também avaliam a utilização dos probióticos no tratamento da síndrome metabólica já que Distúrbios metabólicos e obesidade estão ligados à inflamação através da microbiota intestinal e ou a permeabilidade do intestino, assim a influência benéfica dos probióticos sobre a microbiota intestinal humana inclui fatores como efeitos antagônicos, competição e efeitos imunológicos, resultando em um aumento da resistência contra patógenos.

Contudo a prevalência de síndrome metabólica apresenta-se elevada e crescente em algumas populações, a educação nutricional aliada a uma suplementação são fatores indispensáveis na prevenção e controle dessa síndrome contribuindo para uma melhora na qualidade de vida sendo necessário respeitar a individualidade de cada pessoa. Sendo assim procure sempre um nutricionista para mais orientações.

 

AnaClaudia Ana Claudia faz parte da equipe de Nutrição da SNC de Salvador. Ela é graduanda em Nutrição pela São Salvador.

 

 

 

 

 

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail  nutricao@sncsalvador.com.br .

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Curta a nossa página no Facebook e não perca nenhuma notícia e/ou promoção.

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *