Sem categoria

Ácido Fólico, Cobalamina e Cérebro

ácido fólico

As vitaminas desempenham diferentes funções no corpo humano, influenciando na regulação do consumo de macronutrientes, metabolismo energético, ativando enzimas e hormônios, regulando o sistema imune, dentre outras várias funções.

O àcido fólico é uma vitamina relacionada a doação de carbono para síntese de DNA e RNA e assemelha-se a vitamina B12 por conta dessa função. O folato é descrito como tendo importante função no desenvolvido do tubo neural, por consequência disto, a sua hipovitaminose na fase de gestação acarreta no aparecimento da espinha bífida e possíveis efeitos neurológicos. A vitamina B12 é encontrada em alimentos de origem animal e da produção bacteriana no intestino, por isso é muito difícil identificar hipovitaminose de cobalamina, apesar disso alguns grupos ainda estão expostos a esse efeito, como os que sofrem de atrofia gástrica, vegetarianos estritos e pacientes que se submeteram a cirurgia bariátrica.

A vitamina B9 (como popularmente é conhecida) em conjunto com a cianocobalamina (B12) exerce influência nas concentrações de homocisteína, por isso identificar a hipovitaminose das duas vitaminas é de fundamental importância para se reverter possíveis casos de hiperomocisteinemia, podendo levar a dano cardiovascular, retardo mental, osteoporose, estresse oxidativo e todas as comorbidades secundárias a esses sintomas. Tanto á cianocobalamina como o folato estão envolvidos em desordens psíquicas, por isso o tratamento para depressão, irritabilidade, insônia e falha na memória responde bem para a suplementação dessas duas vitaminas.

Transtornos Psíquicos e neurológicos estão relacionados com o déficit na síntese de tetrahidrobioperina, que é essencial para a fosforilização da fenilalanina e triptofano, influenciando consequentemente nas concentrações de dopamina e noradrenalina, dando origem a casos de depressão. O uso concomitante de antidepressivo e ácido fólico tem tido êxito no tratamento, aumentando o efeito terapêutico.

A síntese de ácidos graxos poli-insaturados por conta do ácido fólico é fator protetor contra a hiperomocisteinemia, diminuindo os casos de envelhecimento acelerado do cérebro, que leva a desordens cognitivas (demência) e neurológicas (Alzheimer). Hiperhomocisteinemia tem sido identificada como um fator de risco para doença vascular. Altas concentrações de homocisteína têm sido tratadas com ácido fólico, vitamina B12 e vitamina B6, para reduzir o risco de doença cardiovascular e AVC. Depois que os relatórios anteriores associaram depressão e demência, vários estudos sugeriram que a hiperhomocisteinémia seja um fator de risco inclusive para Doença de Alzheimer, Parkinson e doença vascular.

Consulte um Nutricionista e aproveite todos os benefícios neuroprotetores que o ácido fólico e a cobalamina podem te oferecer.

 

Cássio Niela  faz parte da equipe de Nutrição da SNC de Salvador. Ele é graduando em Nutrição pela UNEB.

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail    nutricao@sncsalvador.com.br   .

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Curta a nossa página no Facebook e não perca nenhuma notícia e/ou promoção

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.