Hábitos alimentares X Má absorção de frutose

A frutose é um monossacarídeo presente naturalmente em frutas, verduras e mel. O consumo de cerca de 15-24 g/dia de frutose, principalmente a partir de frutas e legumes, corresponde à uma alimentação equilibrada e saudável. Estima-se que metade da população não pode absorver mais de 25 g/hora de frutose.

As modificações nos hábitos alimentares, com o aumento do consumo de alimentos industrializados tem favorecido o aumento considerável nos últimos anos da ingestão de frutose que ultrapassa a capacidade de absorção intestinal. Os estudos também apontam que o consumo médio diário de sacarose (açúcar de mesa), um dissacarídeo constituído por 50% de glicose e 50% de frutose, elevou-se para 80 g/dia. Alimentos diet ou light, sem glúten, barras de cereais, refrigerantes, bebidas artificiais e néctares açucarados e uma ampla variedade de alimentos processados possuem em sua composição “xarope de milho com alto teor de frutose” que proporciona um potencial sabor doce.

Aparentemente, a frutose tem uma absorção limitada a partir do intestino delgado e o excesso deste carboidrato causa uma sobrecarga no sistema das proteínas transportadoras de frutose, acarretando sua má absorção, que está associada a sintomas gastrointestinais, tais como a sua utilização como substrato para a rápida fermentação bacteriana no cólon, promovendo a produção de gases, distensão e dor abdominal, alteração da motilidade gastrointestinal, modificações da microbiota intestinal, diarreia e retenção hídrica.

Estudos realizados com populações europeias e americanas demonstram maior prevalência de má absorção de frutose em indivíduos do sexo feminino, possivelmente efeitos genéticos ou hormonais sobre o transporte de frutose estão envolvidos. LEDOCHOWSKI et al (2001) mostraram que a depressão em mulheres pode ser um fator associado à ineficiência na absorção, o mecanismo é a síntese diminuída de serotonina resultante da ligação no intestino de triptofano com a frutose.

É importante também ressaltar que a má absorção de frutose causa aumento da osmolaridade e consequente aceleração o ritmo intestinal, o que culmina na menor absorção de aminoácidos essenciais e outros nutrientes. Além disso, a frutose no intestino reage com os aminoácidos, reduzindo a qualidade e digestibilidade das proteínas, e favorece reações que inibem a absorção e metabolismo de micronutrientes.

Uma alimentação saudável e equilibrada, que supra as demandas específicas de cada indivíduo, associada à pratica regular de atividade física e boa qualidade do sono, são os pilares fundamentais para se alcançar uma boa qualidade de vida. Cuide da sua saúde, evite a ingestão excessiva de alimentos industrializados e sempre leia os rótulos dos produtos a serem consumidos.

Este texto foi escrito por Ellen Góes, que faz parte da equipe de Nutrição da SNC Salvador.

Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar os nosso textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 pensamentos em “Hábitos alimentares X Má absorção de frutose”