Sem categoria

BCAA X Fadiga

O BCAA (branchedchain amino acids)são aminoácidos de cadeia ramificada formados a partir da junção de leucina, isoleucina e valina, considerados essenciais, pois não são sintetizados pelo nosso organismo. Há muito tempo são utilizados na nutrição clínica e esportiva, apontados como importantes aliados no exercício físico, por estarem envolvidos no balanço proteico muscular, na secreção de insulina, na modulação da imunocompetência, na diminuição do grau de lesão muscular dos atletas, no aumento da resistência e redução da fadiga, principalmente se tratando de exercícios físicos de longa duração.
A fadiga pode ser considerada um fenômeno complexo relacionado à diminuição de fatores motivacionais, redução na sustentação da força e sensação de exaustão. Sendo uma defesa do próprio corpo para sinalizar que a intensidade do exercício deve ser reduzida. Lembrando que, condições ambientais, ingestão nutricional e condição física do indivíduo são fatores relevantes para o aparecimento da fadiga.
Existem dois tipos de fadiga, a fadiga central e a periférica. A fadiga central ocorre em várias partes das estruturas nervosas, desencadeando uma modificação na transmissão a partir do sistema nervoso central ou do recrutamento de axônios motores (mecanismos cerebrais e medulares). Já na fadiga periférica, há perda da força e potência do exercício por mecanismos neuronais e musculares.
Os mecanismos relacionados à ocorrência da fadiga central são a hipoglicemia (diminuição da concentração deglicose decorrente da depleção dos estoques de glicogêniohepático afetando o sistema nervoso central) e a alteração plasmática na concentração de aminoácidos de cadeia ramificada e triptofano. O triptofano é um aminoácido essencial e, entre suas diversas funções está a de ser um precursor do neurotransmissor da serotonina. A Serotonina influencia no sono, comportamento, fadiga, ingestão alimentar, entre outros. Assim, não queremos a liberação exacerbada deste composto durante o exercício físico.
E onde entram os BCAAs aqui afinal? Os BCAAs competem com o triptofano pelo transportador na barreira hematoencefálica. Logo, aumentar a concentração de BCAAs no sangue, através de suplementação, resulta em diminuição na síntese de serotonina ou na liberação da mesma. O que consequentemente iria prevenir a ocorrência de fadiga central.

Na fadiga periférica o BCAA age fornecendo intermédios para o Ciclo de Krebs, fornecendo mais energia e assim evitando o aparecimento da fadiga. Mais estudos são necessários para explorar a relação do BCAA na fadiga central, mas é inquestionável a eficácia desse para diversos fatores, inclusive em relação à fadiga periférica.

“Este texto foi escrito por Raquel Coelho
 
Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
 
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.
 
Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)”

1 comentário

Mariana 29 de maio de 2015 at 12:58

ótimo

Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.