Sem categoria

Whey Protein auxilia no emagrecimento?

A whey protein ou proteína do soro do leite é bastante utilizada por pessoas que objetivam a hipertrofia muscular, porém já está bem estabelecido na literatura que as proteínas do soro também favorecem o processo de redução da gordura corporal, por meio de mecanismos associados ao cálcio, por apresentar altas concentrações de aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA) e peptídeos bioativos gerados no seu processo de digestão gastrointestinal.
O maior custo de energia para o metabolismo e a absorção de proteínas comparado para hidratos de carbono ou gorduras, as altas concentrações de BCCA, principalmente a L-leucina responsável por estimular o mTOR e consequente gerar maior síntese protéica, a rápida velocidade de absorção conferida pela whey e seu melhor efeito sobre o aumento da aminoacidemia, tem sido propostos para explicar a maior termogênese gerada após o processo de sua digestão. É possível que os peptídeos bioativos e os aminoácidos liberados durante a digestão da whey sejam os estimuladores primários da secreção e síntese das incretinas peptídeo inibitório gástrico (GIP) e o peptídeo semelhante ao glucagon (GLP-1), estas são parte de um sistema endógeno envolvido na regulação fisiológica da homeostase da glicose e são ativadas com a chegada de macronutrientes no duodeno exercendo efeito insulinotrópico e redução pós-prandial da glicemia. Os artigos científicos trazem que os peptídeos bioativos e aminoácidos presentes na whey reduzem a ação de uma enzima chamada Dipeptidil Pepetidase – 4 (DPP-4), responsável por degradar rapidamente as incretinas, logo há aumento da meia-vida destas e como resultado, há um retardo no esvaziamento gástrico levando à redução do apetite, aumento da saciedade e perda de peso.
A whey protein também é fonte de cálcio e este mineral desempenha um papel fundamental na regulação do metabolismo energético, pois dietas ricas em cálcio atenuam adipócitos e ganho de peso através principalmente da inibição dos hormônios calcitrópicos, a 1,25-di-idroxivitamina D (calcitriol) e o homônio paratireoídeo (PTH) que parecem estimular um significativo aumento sustentado nas concentrações de cálcio intracelular (Ca²+)i em adipócitos humanos, o qual regula a lipogênese e a lipólise por estimular a expressão e a atividade da ácido graxo sintase, uma enzima chave na lipogênese. Por outro lado, dietas pobres em cálcio estimulam a produção e a liberação destes hormônios, os quais levam ao aumento do (Ca²+)i nos adipócitos, e que, por sua vez, eleva o nível da lipogênese e inibição da lipólise, consequentemente aumento da adiposidade.
Portanto, as proteínas do soro do leite interferem positivamente na redução de gordura em função de seu alto teor de cálcio, peptídeos bioativos e BCAA. Sua utilização em dietas para perda de peso tem momento de uso especifico e é claro que esta é apenas uma das estratégias para promover o emagrecimento. A prática de atividade física assistida por um educador físico associada à intervenção nutricional realizada por um nutricionista é considerada uma estratégia eficiente para promoção da perda de peso.
“Este texto foi escrito por Marianne Áurea

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)”

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.