E a dosagem de omega-3?

Quimicamente falando, o omega-3 é um ácido graxo (AG) que possui três duplas ligações em sua cadeia e possui diversas ações no corpo humano, funcionando como um bio-regulador. Este AG está presente em peixes de profundidade na forma de EPA e DHA, e em algumas plantas na forma de ALA que posteriormente transforma-se em EPA e DHA em nosso corpo.

Para que o nosso corpo funcione de maneira correta é necessário que exista uma razão entre os AGs omega-3 e omega-6 que ingerimos. Cabe aqui uma explicação da funcionalidade: os AGs omega 6 são importantes para a inflamação pois servem como uma defesa de nosso organismo contra patógenos (já que a inflamação é uma característica positiva), entretanto, quando essa inflamação excede o necessário, torna-se prejudicial para o tecido alvo e gera transtorno para o organismo em questão. É ai que entra um dos maiores papeis do omega-3, a sua capacidade de regular a inflamação do corpo e reduzi-la.

Por ser um nutriente com tantas funcionalidades, principalmente pela capacidade de regular a inflamação (reduzindo dor e inchaço), existe grande controvérsia quando se fala em dosagens de omega-3. Para refletir sobre essa questão é necessário pensar em como o padrão de alimentação mundial tem mudado nos últimos séculos, passando de uma comunidade ruralista para uma comunidade altamente industrializada com crescimento expoente da população que nos obriga a plantar em grande quantidade, em especial grãos e cereais que são fontes de omega-6.
Esse alto consumo de omega-6 aliado a baixa ingestão do omega-3 marinho acaba por causar um desbalanço em nosso sistema, sendo o ideal a proporção 3:1 (3g de omega-6 para cada 1g de omega-3). No entanto, hoje em dia consumimos cerca de 19:1.

O uso de 4g diários de omega-3 vem crescendo em contraposição a recomendação atual de 1g/dia. Os estudos nesta área mostram que é seguro o consumo de 4g pelo fato da média geral de consumo quanto ao omega-6 ser de 15g/dia. O uso destes 4g de omega-3 ainda tem resultados na sinalização do mTOR (crescimento muscular),  no emagrecimento por regular a cascata de inflamação causada pela obesidade que pode tornar o individuo insensível a insulina, assim como na produção de hormônios emagrecedores.

Quanto a preocupação voltada para o tempo de coagulação, estudos mostram que não existe problema no uso de 4g de omega-3 e que nunca houve nenhum tipo de agravamento de quadro clínico com o uso deste nutriente.

Este texto foi escrito por Lucas Oliveira. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 pensamentos em “E a dosagem de omega-3?”