Sem categoria

Bioquímica da Beta Oxidação

O processo do emagrecimento não é tão objetivo, envolve uma série de mecanismos biológicos que somados irão promover a tão almejada “queima de gordura”. Compreender como o corpo realiza a bioquímica desses eventos é de grande valia para facilitar a evolução desse processo de forma mais rápida e segura.

Os lipídios (gorduras), bem como os carboidratos e as proteínas, são macronutrientes importantes na nossa dieta. Cada um deles tem sua importância no organismo e deve ser consumido em proporções adequadas para se ter uma alimentação saudável.

A oxidação de gordura não está relacionada com a quantidade consumida através da dieta. O corpo vai ter um saldo positivo de gordura quando houver um excesso de consumo de fontes de energia (por exemplo, comer em excesso), ou uma restrição da atividade física habitual.

O processo de oxidação da gordura ocorre dentro de organelas chamadas mitocôndrias, mais especificamente na matriz mitocondrial. Antes desse processo, ainda no citosol, os ácidos graxos sofrem uma reação de ativação que é catalisada pela enzima sintetase acil coA formando uma molécula chamada acil coA, sendo ela de cadeia curta ou média, é transportada livremente para matriz mitocondrial, ou sendo ainda de cadeia longa, necessita de um nutriente chamado carnitina para que esse transporte ocorra.

Dentro da matriz, a molécula de acil coA sofre 4 etapas que irá gerar acetil CoA, moléculas de FADH2 e NADH2. O ácido graxo completamente oxidado promove a formação de adenosina trifosfato (ATP), combustível de produção de energia, finalizando assim o processo de oxidação da gordura.

Tratando-se de estratégias para otimizar esse processo, a inserção de alimentos como cafeína, gengibre e pimenta na dieta, podem auxiliar a estimulação beta adrenérgica, aumentando a oxidação de gorduras nas mitocôndrias. As substâncias presentes nesses alimentos podem ser encontradas também em suplementos alimentares, os chamados termogênicos. Neles, estas substâncias estão associadas de modo que o sinergismo potencialize o efeito da queima de gordura.

O exercício também é uma formar de recrutar gordura como fonte de energia. Inúmeros fatores bioquímicos intrínsecos vão influenciar na utilização de gordura ou carboidrato para o gasto energético durante o exercício, mas fatores extrínsecos como o tipo e a intensidade do exercício são importantes reguladores da utilização do substrato. Numa perspectiva individual a influência do estado nutricional, sexo do individuo e modo do exercício também são fatores que interferem na escolha desse substrato.

Dessa forma vimos que a oxidação de gordura é realmente um processo longo; contudo, entender como ela ocorre e a adoção de estratégias adequadas, como uma alimentação direcionada para favorecer essa queima de gordura, resultarão no emagrecimento. Ainda assim existem outras formas de promovê-lo. Para melhores resultados, consulte um nutricionista e faça uma avaliação mais detalhada e individualizada.

Este texto foi escrito por Paôla Vieira
Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.