Sem categoria

Termogênicos e disfunções tireoidianas

A tireóide é uma glândula localizada abaixo da laringe e secreta dois hormônios principais: a tiroxina e a triiodotiromina, comumente denominados T4 e T3, respectivamente. A maior parte da secreção de tiroxina é transformada em triiodotironina nos tecidos, no entanto, os dois hormônios estão relacionados com o gasto energético do organismo, mais especificamente com a taxa metabólica basal (TMB). O que difere na função destes hormônios é a velocidade e intensidade da ação. As ações que determinam o aumento da TMB estão ligadas ao fato dos hormônios tireoidianos aumentarem o número e a atividade das mitocôndrias, o transporte ativo de íons através das membranas celulares, o metabolismo de carboidratos, dos lipídios, e da necessidade de vitaminas. Além disso, eles ainda participam do crescimento em pessoas jovens e também nos sistemas cardiovascular, nervoso central, gastrointestinal e na função muscular. Estes hormônios ainda interferem no sono, na atividade das outras glândulas endócrinas e na função sexual.

Por aumentar a TMB, os hormônios tireoidianos são considerados termogênicos. Eles atuam tanto na termogênese facultativa (aquela que acontece quando há exposição ao frio ou é induzida pela dieta) quanto na termogênese obrigatória (que está ligada à manutenção da temperatura corporal) pela indução da expressão das UCPs (proteínas desacopladoras de membranas 1, 2, 3 e 4) na mitocôndria de diferentes tecidos do corpo, tais como o tecido adiposo marrom, os músculos (cardíaco e esquelético) e o fígado. Porém, algumas pessoas apresentam disfunção nesta glândula e, consequentemente, problemas no metabolismo. As disfunções mais conehecidas são o hipotireoidismo e o hipertireoidismo. No hipotireoidismo, quando há quantidade insuficiente ou ausência de T3 e T4 no organismo, desencadeia quadro clínico caracterizado por ganho de peso, letargia, pele seca, intolerância ao frio, rouquidão, redução na frequência cardíaca, que pode acarretar em diversas doenças cardiovasculares. Já no hipertireoidismo, há o aumento da síntese e liberação dos hormônios tireoidianos pela glândula tireoide. Os principais sintomas desta disfunção são: nervosismo, sudorese excessiva, intolerância ao calor, palpitação, taquicardia, fadiga, perda de peso, aumento do apetite e tremor.

Diante do quadro de hipotireoidismo, começou-se a cogitar a hipótese de melhorar os sintomas desta disfunção com termogênicos, já que estes produtos tem a função de induzir o aumento da TMB através da indução da atividade das UCPs. Estudos com algumas das substâncias utilizadas em termogênicos, como w. somnifera, B. Purpurea, Fenugreek e Guggulu em ratos trouxeram evidências significativas da indução do aumento da produção de hormônios tireodianos, enquanto que o uso de altas doses de catequinas causou lesão da glândula e consequente diminuição dos níveis destes hormônios. Quanto ao hipertiroidimo, seria contra-indicado o uso de termogênicos associado ao tratamento desta disfunção, já que o metabolismo do indivíduo portador já encontra-se acelerado.

O uso de substâncias provindas de alimentos tem se mostrado cada vez mais aptas para o uso no tratamento de morbidades e disfunções corporais e os dados apresentados nos trazem respaldo para dar continuidade aos estudos com tais substâncias relacionadas com a regulação do funcionamento tireoidiano em quadros de hipotireoidismo, sendo assim alternativa ao tratamento medicamentoso convencional. Essa ferramenta pode ser uma ótima via de aceleração do metabolismo e prevenção do acúmulo de peso e obesidade, letargia e sonolência nos indivíduos portadores de tal disfunção. No entanto, quanto ao quadro de hipertireoidismo, o tratamento com termogênicos é contra-indicado, já que o metabolismo do indivíduo com esta disfunção já se encontra acelerado. Diante das evidências, mais estudos precisam ser realizados, principalmente com humanos, para suportar tais condutas.

Este texto foi escrito por Juliana Miranda, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido.
Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.
Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.