Sem categoria

Agmatina: O Novo Ingrediente dos Pré-Treinos

A cada dia que passa, as indústrias de suplementação vêm investindo cada vez mais em pesquisas para descobrir novos compostos que auxiliem na melhora do desempenho. Uma de suas “novas descobertas” foi a Agmatina. A agmatina é um composto sintetizado a partir do aminoácido arginina pela enzima arginina descarboxilase (ADC). Ela também é conhecida como arginina descarboxilada. Sua descoberta foi em 1910 pelo cientista ganhador do prémio Nobel,  Albrecht Kossel.

Além de ser sintetizada pelo nosso organismo, a agmatina também pode ser adquirida a partir da dieta, porém em quantidades mais baixas em ampla variedade de plantas, peixes e outros animais. No nosso corpo as bactérias do trato gastrointestinal são responsáveis por produzir a maior parte da agmatina. A suplementação desse composto se dá na forma de sulfato de agmatina. Essa substância é absorvida no trato gastrointestinal e em seguida é rapidamente distribuída para todo o corpo, incluindo o cérebro. A semivida dessa substância é de cerca de 2 horas.

Ela pode ser metabolizada em ureia e/ou putrescina, o precursor de diamina das poliaminas, que são substâncias essenciais para a proliferação e recuperação celular. Entretanto, outra função da agmatina é de estimular a enzima óxido nítrico sintetase endotelial (eNOS), enzima responsável por converter a arginina em óxido nítrico, substância que está diretamente ligada à vasodilatação. Na teoria, a suplementação de agmatina favoreceria  maior estimulação da eNOS que por sua vez iria produzir mais óxido nítrico, promovendo assim a vasodilatação. Mas o que é que os estudos dizem?

Apesar de comprovada a ação de estimular a eNOS, atualmente não existe nenhum estudo científico comprovando a ação da agmatina na vasodilatação nem na melhora da performance. Entretanto, existem estudos que sugerem a utilidade da agmatina no tratamento de um espetro de doenças complexas, incluindo diabetes, neuropatias, doenças neurodegenerativas, comportamentais (por ex., ansiedade e depressão) e transtornos cognitivos. Em 2014 foi publicado um estudo para avaliar a seguridade do sulfato de agmatina. Os participantes foram suplementados com 2,5g de agmatina por 5 anos. Nenhum efeito adverso primário ou secundário foi observado durante todo o estudo.

Mesmo sem comprovação científica em relação a vasodilatação, em 2007 o sulfato de agmatina foi introduzido no comércio para os indivíduos que praticam exercício físico na dosagem recomendada de até 2g/dia. Vale ressaltar que são necessários estudos para confirmar sua real função.

Este texto foi escrito por Rafael Fildes Almeida, que faz parte da equipe de nutrição da SNC-Salvador , baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido.

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail: nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.
Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)

2 comentário

niki aslaner 16 de janeiro de 2018 at 22:34

Quero comprar agmatina e gostaria de saber sobre os preços.

Responder
Lara Cerqueira 22 de janeiro de 2018 at 09:29

Olá,
Não temos no Brasil produtos que tenham apenas Agmatina isolada em sua composição, não tem registro pela ANVISA. Este nutriente é encontrado apenas em alguns produtos da categoria pré-treinos.

Estamos a disposição para maiores esclarecimentos.

Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.