Sem categoria

A relação do consumo de álcool e hipertrofia muscular

O álcool é uma das drogas mais consumidas no mundo. Essa substância possui na sua composição um valor calórico de aproximadamente 7kcal/g, valor que supera o de macronutrientes como carboidratos e proteínas. Porém, é considerado caloria vazia, aquela que não agrega importância para o corpo. Muito pelo contrário, trata-se de uma substância tóxica e por isso precisa ser rapidamente eliminada pelo corpo, tendo prioridade no metabolismo. Segundo estudiosos, o consumo moderado a alto de álcool (aproximadamente 30 g de etanol/dia) está relacionado ao descontrole metabólico e hormonal, com implicações na homeostase energética, eleva o apetite e ganho de peso corporal, além de interferir também no metabolismo proteico.

É entendido que o álcool atrapalha a liberação dos hormônios pelas glândulas e suas ações teciduais, causando consequências medicas. Exemplificando, o álcool causa maior produção de dois minerais corticoides pela maior produção de ACTH, aldosterona e glicocorticoide, alterando mais uma vez o metabolismo corporal.
Avaliando o seu consumo, o etanol foi capaz de reduzir de 15 à 20%  a hipertrofia muscular. Os estudos sugerem que a via metabólica seria a da redução na sinalização da principal proteína responsável pela síntese proteica: mTOR. Alguns estudiosos também sugerem que o etanol é capaz de provocar maior estímulo à miostatina, proteína  responsável por inibir a hipertrofia e a hiperplasia.

Quanto a ação sobre IGF-1, fator de crescimento semelhante à insulina, o álcool inibe a capacidade da insulina (hormônio relacionado a captação celular de macronutrientes) de fosforilar seu próprio receptor, ou seja, inibe a captação e  leva ao desbalanço energético. Avaliando os níveis de testosterona e a influência que o exercício e o consumo de álcool causam, Rojdmark et al. não avaliou a junção do etanol com o exercício, porém utilizou 0.45g/kg de álcool três vezes no dia e observou que diferente do grupo exercício e semelhante ao grupo que utilizou somente água, não houve um aumento nos níveis de testosterona. Entretanto, quando a quantidade de álcool utilizada por dia caiu para 0.5g/kg por dia, houve um aumento nos níveis de testosterona, superiores ao grupo que utilizou somente água.

A ingestão do álcool atinge uma multiplicidade de fatores fisiológicos, o metabolismo de proteínas e a resultante hipertrofia muscular parecem ser diretamente afetadas pelo etanol. O álcool e seus subprodutos metabólicos prejudicam a sinalização que afetam diretamente a transcrição de genes envolvidos na hipertrofia. Além disso, o etanol é capaz de inibir a testosterona e também de aumentar os níveis de cortisol, uma tendência oposta a hipertrofia muscular. Curiosamente, a maioria dos estudos que avaliaram o uso do etanol em uma dose maior do que 1,5 g / kg mostrou efetivamente diminuir os níveis séricos de testosterona. A modo de exemplificar, para homens de 70kg, essa quantidade corresponderia entre 5-6 copos de cerveja.

Principalmente nessa época festiva que vive nossa cidade, vale a pena redobrar a atenção ao consumo dessa substância, tendo em vista um equilíbrio alimentar e uma ingestão inteligente, intercalando com alimentos fontes de carboidratos, proteínas, minerais e vitaminas. Outro ponto importante é também o consumo de água, visto que o álcool é capaz de provocar uma grande desidratação corporal, afetando também o funcionamento metabólico.

Este texto foi escrito por Felipe Carpintero, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)

2 comentário

Cíntia Abreu 8 de setembro de 2016 at 23:44

Olá! Temos um site que trata de assuntos como saúde, nutrição e exercício. Faça-nos uma visita.

Responder
Rafael Fildes 1 de outubro de 2016 at 12:26

Ok Cíntia, agradecemos o contato

Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.