Estratégias nutricionais para ansiedade

Ansiedade é um sentimento desagradável de medo, apreensão, caracterizado por tensão ou desconforto derivado de antecipação de perigo, de algo desconhecido ou estranho. A ansiedade passa a ser considerada como patológica quando é desproporcional em relação ao estímulo, e interfere na qualidade de vida, o conforto emocional ou o desempenho diário do indivíduo

Os transtornos de ansiedade quando não são tratados adequadamente, podem conduzir a quadros depressivos, por sua vez, podem resultar no aumento da pressão arterial, palpitações cardíacas, dor no peito, respiração rápida ou falta de ar, sudorese excessiva, aumento da tensão muscular, bem como irritação e diminuição do fluxo sanguíneo intestinal, provocando náuseas ou diarréia. Pode haver ainda diminuição na atividade sexual.

Alguns nutrientes atuam na produção de neurotransmissores e na expressão de genes que combatem a ansiedade. A colina, por exemplo, é uma amina, que está presente em muitos alimentos, como ovos, fígado, amendoim e uma variedade de carnes e vegetais, e reduz a expressão de genes da ansiedade em animais.
Em um estudo realizado com idosos, a dose administrada de 500 mg duas vezes por dia durante, resultou em uma melhora significativa nas pontuações das escalas em Atividades de Vida Diária, Atividades Instrumentais de Vida Diária.

Outro nutriente que promove redução da ansiedade é o triptofano. Um aminoácido, cuja principal função é ser precursor do neurotransmissor serotonina, o hormônio do bem-estar. Para a conversão do triptofano em serotonina , é necessário alguns cofatores. São eles: as vitaminas B3, B6, B12, B9, C e os minerais: magnésio e cálcio. Logo, as deficiências desses micronutrientes interferem na produção da serotonina.
.
A vitamina C em doses de 500 mg por dia tem mostrado redução da ansiedade em adolescentes. Isso por participar na síntese de dois neurotransmissores importantes, como a serotonina e norepinefrina. Esta vitamina é essencial para a conversão de triptofano a 5-hidroxitriptofano e de norepinefrina a partir de dopamina.

No intuito de melhorar a qualidade de vida dos indivíduos com transtorno de ansiedade, é importante que o nutricionista se atente a ofertar os nutrientes citados acima, em alguns casos a depender do grau de ansiedade faz-se necessário a suplementação.

“Este texto foi escrito por Paula Macêdo

Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br

Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.

Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *