Sem categoria

Repositores eletrolíticos na musculação.

Durante a realização de exercícios físicos, diversos mecanismos corporais têm sua atividade aumentada com o intuito de sustentar o esforço requerido pelo exercício. Mecanismos de contração muscular e manutenção da homeostasia corporal são de suma importância para a continuação do exercício. Por exemplo, para que ocorra a contração muscular, precisamos de um processo chamado de despolarização de membrana, que envolve a movimentação entre as membranas das células pelos íons Sódio (Na) e Potássio (K), responsáveis por ‘emitir um sinal’ estimulando a contração. Em conjunto com a despolarização temos o processo de recrutamento do Cálcio (Ca) para dentro de subunidades que compõem a musculatura (sarcômeros) e são responsáveis pela contração. Em processo inverso a esse, ocorre uma libertação desse íon cálcio caracterizando a fase de relaxamento da musculatura.

Uma diminuição em algum desses dois principais mecanismos necessários para o estímulo de contração e realização do exercício físico pode levar a fadiga. Exemplificando, caso o processo de despolarização, que é responsável por ‘emitir o sinal’ para a musculatura não ocorra à contração não é realizada. Da mesma forma, se a saída do íon cálcio do sarcômero não ocorrer, a contração muscular será mantida não havendo relaxamento, levando a fadiga muscular.

Muito se fala de repositores eletrolíticos para exercícios de endurance, onde os indivíduos que realizam esse tipo de exercício têm uma grande necessidade de reposição de íons (Cálcio, Magnésio, Cloro, Sódio, Potássio) para continuidade do exercício. Verdade. Porém, sugere-se que não só nesse tipo de exercício há recomendação dessa suplementação. Durante a musculação, exercícios mais curtos em relação ao endurance, também se infere interesse nessa suplementação. Estudos atuais mostram que já na primeira contração realizada com pesos existe um desbalanço, principalmente de íons sódio e potássio que seriam suficientes para fadigar mais rapidamente a musculatura com a continuidade do exercício.

Essa estratégia de suplementação para retardar o aparecimento da fadiga e permitir a continuidade do exercício é valida principalmente para os indivíduos que não estão adaptados ao treinamento, seja por ter iniciado na prática da musculação ou pela mudança dos exercícios realizados, permitindo melhor rendimento e consequentemente melhor resultado desejado. Busque o auxílio de um Nutricionista para que seja analisado a viabilidade desta estratégia suplementar.

Este texto foi escrito por Felipe Carpintero, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.