Sem categoria

Celulite: Artifícios nutricionais

No contexto atual, em que há forte busca pelo corpo esteticamente perfeito, a celulite tem sido desde muito tempo, o terror na vida das mulheres. Conhecida cientificamente como Hidrolipodistrofia Ginóide (HDLG), acomete principalmente a população feminina e alguns autores a consideram característica própria do sexo e não condição patológica. A HDLG é multifatorial, os fatores que favorecem o seu surgimento incluem características genéticas e emocionais, metabolismo, fatores hormonais, idade, sexo, presença de doenças como hipertensão arterial e obesidade, além de hábitos como má alimentação, sedentarismo, fumo e uso de roupas muito justas.

A celulite se apresenta como alteração do relevo cutâneo, que envolve modificações nos adipócitos, as células gordurosas do corpo, além de alterações na derme e na microcirculação, esta condição consiste num processo de inflamação do tecido adiposo. Ao redor da célula adiposa, há fibras que se ligam à musculatura e separam os agrupamentos de adipócitos. Na mulher essas fibras se apresentam retilíneas e perpendiculares à pele, dessa forma, quando há aumento nas células adiposas, a gordura se projeta para a pele formando o aspecto já conhecido como “covinhas de depressões”, “casca de laranja”, etc. Esse aspecto é comumente encontrado nas regiões das coxas e nádegas, entretanto, outras regiões também podem ser afetadas. Além dessa característica das fibras na mulher, há o fator hormonal que contribui muito para o aparecimento das celulites, isto devido ao estrogênio, hormônio que faz com que a mulher acumule mais gordura do que o homem, além de explicar também o fato de que, geralmente, a celulite aparece após a puberdade. Os estudos trazem que cerca de 90% das mulheres têm a HDLG e apesar de na prática clínica haver associação entre celulite e excesso de peso, pessoas magras também podem apresentar este quadro em função do acúmulo de gordura em regiões específicas do corpo (gordura localizada).

Hoje encontram-se no mercado diversos tratamentos com o intuito de combater a celulite e proporcionar maior aceitação das mulheres em relação ao seu próprio corpo, culminando assim em melhor qualidade de vida. Vale ressaltar que mesmo com o desenvolvimento de diversos procedimentos, equipamentos e produtos estéticos, sabe-se que os resultados podem não ser tão satisfatórios se o paciente não se conscientizar de que precisa ter hábitos de vida saudáveis, incluindo alimentação equilibrada e exercício físico.

Neste âmbito, a nutrição tem papel fundamental no tratamento da HDLG, a dietoterapia tem como objetivos a diminuição do tecido adiposo, a melhora do trânsito intestinal e a redução da retenção hídrica. O consumo de alimentos capazes de desintoxicar o organismo, diminuir a inflamação e promover melhora da circulação sanguínea se apresentam como armas potentes contra os problemas que agravam a celulite. Além disso, há nutrientes capazes de auxiliar no restabelecimento da matriz intersticial, estimular a queima de gorduras e evitar o aumento da permeabilidade vascular, diminuindo edema e outras perturbações consequentes.
É importante reduzir carboidratos simples e alimentos gordurosos da dieta, para diminuir o acúmulo de gordura nos adipócitos. Fibras devem ser consumidas para melhorar o trânsito intestinal além de prevenir e diminuir o ganho de peso, elas podem ser encontradas em frutas, verduras, folhosos, e cereais integrais.
A suplementação nutricional também pode ajudar no combate à celulite. Vitaminas e minerais são importantíssimos para regular diversos processos metabólicos no corpo, manter os tecidos saudáveis e equilibrar os líquidos corporais, são sempre indispensáveis. O consumo de prebióticos, probióticos e simbióticos se faz interessante também nesta situação. O ômega 3 melhora a circulação, é um potente anti-inflamatório e resguarda os vasos sanguíneos, além disso a sua utilização associada ao óleo de cártamo (CLA), no contexto de balanço energético negativo pode otimizar a mobilização da gordura corporal. Substâncias de ação lipolítica podem estimular a lipólise e diminuir o tamanho dos adipócitos, quadro que beneficia a aparência da superfície da pele, como bases xantínicas (cafeína, teofilina e teobromina e o retinol), silícios e iodos orgânicos, e L-carnitina. O colágeno hidrolisado apresenta-se também como uma estratégia interessante já que atua na reestruturação do tecido conjuntivo.

As estratégias alimentares e suplementares aqui mencionadas são consideradas artifícios nutricionais,  portanto, busque o auxílio de um nutricionista para melhor enquadra-los ao a realidade.
Este texto foi escrito por Thaíssa Silva, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido.
Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

4 comentário

Silvia Eichenberger 18 de maio de 2016 at 10:35

Parabéns a Thaíssa Silva, texto escrito com muita clareza conhecimento.

Responder
Thaissa 24 de maio de 2016 at 12:46

Obrigada pelo reconhecimento Silvia Eichenberger! Você pode acompanhar esse espaço para ler mais textos como esse, beijos!

Responder
Bárbara Carvalho 24 de maio de 2016 at 17:57

Parabéns Thaíssa!!! Texto muito rico de informações!!!

Responder
Thaissa 2 de junho de 2016 at 12:04

Obrigada pelo elogio Bárbara Carvalho, fico feliz que gostou do meu texto, não deixe de ler os outros! Beijos!

Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.