Sem categoria

Dietas Hiperproteicas Para Hipertrofia

A proteína é o macronutriente composto basicamente por cadeias de aminoácidos que desempenham papel importante no fornecimento de material para a construção de todos os nossos tecidos e órgãos, dentre eles, destaca-se o tecido muscular esquelético. Além desta função, a proteína é utilizada para diversos fins como produção de transportadores plasmáticos, replicação de DNA, síntese de enzimas, entre outros. Devido a sua importância na musculatura esquelética, diversas dietas foram elaboradas dando ênfase ao maior consumo desse nutriente a fim de promover ganho de massa muscular ou até mesmo emagrecimento. Esse tipo de dieta é chamada de dieta hiperproteica.

De acordo com a literatura, dietas que variam de 0,8 a 1,0 g/kg de proteína são consideradas dietas normoproteicas. Entretanto, valores acima já são consideradas dietas hiperproteicas. As dietas hiperproteicas podem possuir quantidades variadas de proteína, doses entre 1,2 a 2,0g/kg peso já estão bem estabelecidas em diversos estudos.

No que diz respeito ao emagrecimento, diversos autores mostram que as dietas hiperproteicas favorecem a redução da massa gorda e manutenção da massa magra. Diferentemente dos carboidratos e das gorduras, o nosso corpo acaba utilizando mais energia para metabolizar a proteína do que os demais macronutrientes, aumentando assim o gasto calórico. Além disso, as proteínas possuem poder de causar saciedade por estimular a produção de algumas substancias como colecistoquinina (CCK), peptídeo YY (PYY), GLP-1 e GIP.

Já em relação a hipertrofia, a quantidade de proteína precisa estar intimamente relacionada com a quantidade de gorduras e carboidratos. Uma dieta hiperproteica que visa hipertrofia, deve conter também quantidade adequada de calorias não proteicas (calorias provenientes dos carboidratos e das gorduras) para que possa ocorrer hipertrofia de qualidade. Se houver aumento apenas de proteína na dieta sem o aumento suficiente dos demais macronutrientes, ao invés de hipertrofia, haverá grande chance do indivíduo emagrecer/definir. Por outro lado, o aumento exagerado de carboidratos e gorduras, além do ganho de massa muscular, o indivíduo ganhará também massa gorda.

O cálculo para saber a quantidade de carboidratos e gorduras necessários para a eficácia da síntese proteica nesse tipo de dieta, as escolhas das fontes proteicas, bem como a periodização do fornecimento da mesma, são alguns dos manejos dietéticos realizados pelo nutricionista a fim de proporcionar o sucesso da dieta.

Este texto foi escrito por Rafael Fildes Almeida, integrante da equipe de nutrição da SNC-Salvador, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido.
Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail: nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.
Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)

2 comentário

ROBERVAL ROCHA SOUSA 9 de junho de 2016 at 15:38

Muito bem esclarecedor este texto

Responder
Rafael Fildes 10 de junho de 2016 at 20:10

Obrigado Sr.Roberval. Estamos à disposição!

Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.