Sem categoria

Cirurgia bariátrica: suplementação nutricional

A obesidade é uma doença crônica não transmissível (DCNT) que se caracteriza pelo acúmulo, em excesso, de gordura corporal. Para grande parte da população obesa as tentativas de emagrecimento através de mudanças no estilo de vida geralmente resultam em frustrações. Nesses indivíduos, as oscilações entre tratamentos, perdas ponderais, potencial genético, e as comorbidades associadas (hipertensão arterial, artropatias, dislipidemias, diabetes, disfunções respiratórias, etc.) agravam o quadro clínico e culminam no que hoje se conhece por “obesidade mórbida”. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, casos especiais de obesidade grave em se que apresentam: Índice de massa corpórea (IMC) acima de 40kg/m² ou IMC entre 35 e 40 kg/m² na presença de comorbidades, ou ainda, IMC entre 30 e 35 kg/m² na presença de comorbidades que tenham obrigatoriamente a classificação “grave” além de constatação de “intratabilidade clínica da obesidade” por um endocrinologista; são indicados à cirurgia bariátrica.
Este quadro é caracterizado por significativo comprometimento da qualidade de vida e abalo do bem-estar psicossocial. Devido a essas complicações, a intervenção cirúrgica se apresenta como uma alternativa para esse paciente de alto risco. Vale destacar que, mesmo com a cirurgia, ou talvez, principalmente devido a ela, o paciente deverá respeitar as mudanças drásticas e se enquadrar no padrão de ingestão alimentar, será preciso acompanhamento nutricional sistemático, para que se alcance o sucesso desejado. As técnicas cirúrgicas compreendem 3 tipos de intervenção: restritivas, disabsortivas e mistas. As restritivas restringem apenas a ingestão alimentar e não modificam o componente disabsortivo. As disabsortivas comprometem a absorção de macro e micronutrientes. Técnicas mistas associam estes dois mecanismos que atuam em sinergia e potencializam a perda ponderal, além da melhora nas comorbidades.
As cirurgias mais utilizadas abrangem a diminuição da capacidade gástrica por meio da redução do estômago e desvio intestinal. Com isto, a possibilidade de deficiências nutricionais é potencializada. Dentre os nutrientes que podem ter sua absorção prejudicada estão: proteínas, vitaminas lipossolúveis, tiamina, ácido fólico, selênio, cálcio, cobre, ferro e zinco. A absorção ileal de vitamina B12 também é comprometida já que com o isolamento ou retirada de grande porção gástrica há diminuição da conjugação com o fator intrínseco que se encontra reduzido e é necessário para que esta vitamina seja absorvida. Alguns eventos possíveis no pós-operatório recente como vômitos, diarreia e síndrome de dumping podem também afetar a ingestão e absorção de nutrientes.
Vitaminas e minerais são fatores e cofatores fundamentais em muitas funções biológicas que regulam o peso corporal, dessa forma, a suplementação de micronutrientes se faz necessária não só para a saúde, mas também para alcançar o máximo de sucesso na manutenção e na perda de peso em longo prazo. A biodisponibilidade dos micronutrientes deve ser observada pois é importante para a eficácia da suplementação. As deficiências de micronutrientes colocam em risco os resultados esperados com os procedimentos cirúrgicos, e a suplementação nutricional não deve deixar de ser feita, embora consolidada como importante conduta terapêutica, ainda representa um obstáculo para o sucesso do tratamento cirúrgico da obesidade.
Dentre os macronutrientes, a deficiência de proteína é comumente observada nesses casos, o paciente deve ser orientado pelo(a) nutricionista a utilizar suplementos proteicos líquidos ou em pó, hidrolisados, e de alto valor biológico, após 48 horas do fim da intervenção cirúrgica. Deve-se atentar para o perfil de aminoácidos presentes quando o suplemento for responsável por todo o aporte proteico da dieta. A proteína do soro do leite (whey protein) se apresenta como excelente escolha, já que possui elevados níveis de aminoácidos de cadeia ramificada, necessários para evitar degradação do tecido muscular (catabolismo), permanecem solúveis no estômago, são mais facilmente e rapidamente digeridas e com menor teor ou até mesmo isentas de lactose.
A suplementação se faz extremamente necessária uma vez que pacientes submetidos à cirurgia bariátrica apresentam algumas restrições que justificam a oferta de nutrientes através de suplementos de modo a suprir suas necessidades nutricionais. O acompanhamento nutricional realizado por profissional da área é de fundamental importância com o intuito de prevenir o aparecimento de deficiências nutricionais e garantir que o paciente cumpra seus objetivos de forma saudável, dentro das suas capacidades e limitações individuais.
Este texto foi escrito por Thaíssa Silva, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.