Sem categoria

Dieta Paleolítica

Você já ouviu falar de dieta paleolítica ou dieta do homem das cavernas? Apesar de não ser uma novidade no ambiente cientifico, nos últimos anos a dieta paleolítica ganhou grande destaque, sendo que diversos artistas, blogueiros e nutricionistas vem incentivando este tipo de padrão alimentar nas redes sociais. Segundo esses autores nossos antepassados do Paleolítico eram muito mais saudáveis, não sofriam de doenças cardíacas e nenhuns outros problemas que afligem a atualidade.

O período Paleolítico começou aproximadamente há 2,5 milhões de anos quando os Homo habilis começaram a usar os primeiros utensílios, e termina há 10.000 anos com o surgimento da agricultura. Os padrões alimentares dos nossos antepassados desse período não eram homogêneos, visto que dependiam do espaço geográfico e do clima da região onde eles se localizavam, sendo assim evidente uma constante variação na composição de macro e micronutrientes e da proporção de vegetais e alimentos  de origem animal. Esta dieta se caracteriza pela ingestão apenas de alimentos que eram disponíveis para os seres humanos antes do desenvolvimento da agricultura. Se constituindo principalmente por alimentos de origem animal e de plantas não cultivadas. São exemplo desses alimentos a carne magra, o peixe, os legumes, as frutas, as raízes, os ovos e as nozes. A dieta exclui grãos, legumes cultivados, produtos lácteos, sal, açúcar refinado e óleos processados.
É descrito na literatura cientifica que a dieta paleolítica poderia auxiliar na melhoria do diabetes mellitus tipo II, dos fatores de risco cardiovasculares, do perfil lipídico, da pressão arterial, e da síndrome metabólica e até potencializar o emagrecimento  aliada a uma maior saciedade, porém ainda são necessários mais estudos. Estes benefícios são justificados pelos autores através de teoria genética, pois do início da agricultura até hoje houve apenas 0,005% de mudança no DNA, pouco tempo para uma evolução significativa do metabolismo energético e dos processos fisiológicos.

Em suma, a dieta paleolítica incentiva um maior consumo de frutas, hortaliças, nozes, sementes e principalmente carnes magras, aliada a uma baixa ingestão de grãos refinados, açúcares, alimentos industrializados, gorduras trans e saturadas, alimentos lácteos, alta ingestão de água e pratica de exercícios físicos. Estratégias que evidentemente propiciariam um estilo de vida mais saudável. Para uma melhor adequação da dieta paleolítica em seu plano alimentar procure um nutricionista.

Este texto foi escrito por Nathalia Ramos , baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido.Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)

4 comentário

Adilson Gomes 1 de julho de 2016 at 20:58

Muito interessante o tema “DIETA PALEOLÍTICA”. Procurarei um profissional para ver a viabilidade de iniciar esse tipo de dieta. Parabéns Nathalia Ramos e equipe SNC pela matéria!

Responder
Lara Cerqueira 10 de agosto de 2016 at 18:14

A equipe sente-se lisonjeada com a sua percepção, Adilson.
Nos dedicaremos ainda mais para trazer informações pertinentes!

Responder
Dr. NutriPaleo 4 de julho de 2016 at 15:44

Falto o livre consumo de gorduras animais como banha!

Responder
Rafael Fildes 1 de outubro de 2016 at 10:40

Verdade Dr. NutriPaleo
O consumo de banha de porco é muito comum nas dietas paleolíticas

Estamos disponíveis para maiores esclarecimentos

Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.