Sem categoria

Ômega 3 para crianças

Para a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP,2012) a infância é dividida em quarto períodos: O período lactante é formado por crianças de 0-2 anos de idade; o período pré-escolar envolve meninos e meninas de 2-6 anos de vida; 7 a 10 anos é o período escolar, enquanto que de 10 anos em diante já se inicia a adolescência. Ao longo do desenvolvimento das crianças é preciso ter bastante atenção quanto a distribuição de macronutrientes, inclusive os lipídios que devem ser consumidos em quantidades específicas para cada idade.

O ômega 3 é um ácido graxo poli-insaturado pertencente ao lipídios que participa de diversas formas no crescimento e desenvolvimento das crianças. Este óleo essencial não é sintetizado por nosso organismo devido a ausência de enzimas dessaturases que promovem a adição de um átomo de carbono ao ácido oleico (ômega 9) que modificando-o em outros ácidos  como o ômega 3. Devido a falta destas enzimas em humanos, e principalmente a imaturidade enzimática das crianças, a ingestão ou suplementação de ômega 3 é muito bem vista para a saúde. Dois ácidos são característicos das atividades deste óleo, o Eicosapentaenoico (EPA) e Docosaexaenoico (DHA).

Desde o período gestacional, o ômega 3 apresenta propriedade muito importantes para o feto. 50 a 75 mg dos ácidos poli-insaturados da dieta da mãe são utilizados para formação do cérebro e retina do embrião. O DHA por sua vez é o ácido que apresenta maiores funções nas crianças participando de 15% da estrutura do córtex e lobos frontais, regiões responsáveis pela memória, dicção e aprendizagem das crianças. Além disso, o EPA e DHA estão diretamente relacionados ao período adequado da gravidez, circunferência da cabeça dos bebês e crescimento nos primeiros anos de vida.

Os estudos trazem que a suplementação de 180mg de EPA e 120mg de DHA por três meses em crianças de 4 a 14 anos diminuem o aparecimento das citocinas pró-inflamatórias IL-17 e TNF, as quais se manifestam em crianças que possuem asma.  Outra função importante do ômega 3 está na diminuição da pressão sistólica e sanguínea em bebês nascidos com baixo peso. Skilton et al., 2013 forneceram três dosagens diferentes dos ácidos EPA e DHA para crianças nascidas com baixo peso e observaram que após o período de suplementação, crianças que consumiram valores moderados e altos de ômega 3 tiveram redução na pressão sanguínea e pressão sistólica. Um dos possíveis mecanismos abordados pelos autores foi a diminuição de monócitos que se aderem a parede endotelial, favorecendo ao fluxo sanguíneo mais flúido.

A literatura também trás que transtornos cerebrais como autismo, hiperativade, depressão e ansiedade nas crianças podem ser diminuídos sob a suplementação de ômega 3. As concentrações dos ácidos variam entre os estudos, porém um dos mecanismos de ação comum entre eles é devido a diminuição de citocinas pró-inflamatorias que dificultam a síntese de serotonina. Outra via de ação seria quanto a ingestão de DHA, ácido que está associado ao funcionamento do cérebro devido a canais de íons, receptores e expressão de genes que promovem o crescimento cerebral.

Outras enfermidades estão associadas ao baixo consumo de ômega 3 em crianças, porém mais estudos precisam ser realizados para confirmar a necessidade deste óleo. Entretanto sabe-se que a carência do mesmo pode prejudicar o crescimento e desenvolvimentos das crianças, e assim a ingestão de gorduras poli-insaturadas é fundamental para a qualidade de vida deste grupo. Para isso, é preciso a busca ao profissional da nutrição para que as dosagens de ômega 3 possam ser devidamente suplementadas às gestantes e crianças em formação.

Este texto foi escrito por Osiyallê Akanni Rodrigues
 
Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
 
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.
 
Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)”

2 comentário

Marlene Pereira 8 de julho de 2016 at 22:28

Parabéns Sr.Akanni espero a publicação de um texto com orientação alimentar para a terceira idade m

Responder
Osiyallê Akanni Rodrigues 27 de julho de 2016 at 23:50

Pode deixar Dona Marlene Pereira, em breve novidades para o público da terceira idade aparecerão!

Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.