Sem categoria

Whey e Infância

As crianças possuem necessidades especiais nos primeiros meses de vida, devendo o leite materno ser seu único alimento até os 6 meses de idade. Após este período, a criança passará a contar com a alimentação complementar, que visa garantir maior oferta de nutrientes e proporcionar crescimento linear nos parâmetros utilizados na pediatra, a oferta do leite materno deve continuar presente neste período.

A introdução de leite de vaca deve acontecer após o primeiro ano de vida, permitindo à criança menores riscos de desenvolvimento de Alergia a Proteína do Leite de Vaca  (APLV). Vale ressaltar que a fisiologia dos pequenos ainda está em desenvolvimento e que a quantidade de proteínas presentes no leite de vaca é muito maior do que a contida no leite materno, porém, menor quantidade não quer dizer menor qualidade, esta menor quantidade está diretamente ligada a especificidade biológica dos mamíferos. Em casos excepcionais, a introdução de fórmulas infantis ocorrerão antes do primeiro ano de vida, sendo o nutricionista o profissional adequado para  melhor indicar a fórmula a ser utilizada.

Os benefícios do Whey Protein (proteína isolada do soro do leite) estão muito bem estabelecidos na comunidade científica. Dentre eles podemos destacar seu alto valor biológico, por conter todos os aminoácidos essenciais, rico em imunoglobulinas, lactoferrina e histidina. As imunoglobulinas são glicoproteínas, responsáveis pelos processos de resposta imunológica, ou seja, elas agem protegendo o corpo de agentes infecciosos. A lactoferrina possui um importante papel bactericida. Muitos autores trazem a histidina como um aminoácido extremamente necessário para as crianças, por ser um dos componentes da carnosina. A carnosina é um potente antioxidante, frequentemente recomendada no uso para crianças com autismo por melhorar a comunicação delas.

Em meta-análise realizada em 2010 por HORVATH, ele analisou a eficácia da utilização de fórmula infantil padrão e fórmulas parcialmente hidrolisadas do soro do leite na redução do risco de alergias em bebês saudáveis com alto risco de desenvolvimento de dermatite atópica. As crianças que utilizaram a fórmula extensamente hidrolisada (FEH) entre os 3 e 6 meses de idade apresentaram chance 50% menor de desenvolvimento de alergias se comparado ao grupo que fez uso de fórmula láctea padrão (FLP).

Outro estudo foi realizado por MORENO aqui no Brasil em 2002, crianças de 1 a 6 anos de idade portadoras de HIV teriam seu estado nutricional avaliado com a suplementação de Whey Protein. Um grupo utilizou concentrado de proteínas do soro do leite e o outro grupo maltodextrina. Não houve diferença significativa no ganho de peso em nenhum dos grupos, porém, o grupo que utilizou Whey apresentou maior modulação do sistema imunológico promovendo assim redução nos quadros infecciosos.

Desta forma podemos perceber que o uso de Whey Protein para as crianças parece exercer um fator a mais de proteção, contribuindo de forma significativa no desenvolvimento cognitivo e imunológico. A proteína isolada do soro do leite está presente em diversas fórmulas infantis, portanto seu consumo já é realizado pelas crianças desde o primeiro ano de vida. Cabe ao profissional de nutrição entender as necessidades nutricionais que são inerentes a esta fase específica das crianças, portanto procure um nutricionista para melhor atender a estas necessidades.

Este texto foi escrito por Michel Weber, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)”.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.