Sem categoria

Proteínas no emagrecimento

Com o aumento da prevalência da obesidade e desordens metabólicas, muito esforço tem sido colocado nos estudos dos efeitos obesogênicos e metabólicos especificamente de micro e macronutrientes. As proteínas dietéticas, em particular, têm sido extensivamente estudadas nos últimos anos, e evidências mostram que uma alta proporção da energia da dieta a partir de proteínas aumenta a perda de peso e impede o reganho de peso.

O efeito benéfico de uma ingestão de alto teor de proteína parece ser devido ao aumento da termogênese induzida pela dieta, um aumento da saciedade e diminuição da fome, que é sugerida a mediação através de hormônios gastrointestinais. As proteínas têm características únicas relacionado com a sua fonte, o conteúdo de ácidos aminados, e de absorção cinética. Portanto especula-se que as proteínas de diferentes fontes têm diversos efeitos metabólicos, e alguns estudos mostram evidências de que diferentes fontes de proteína diferem na sua capacidade saciante.

A saciedade induzida por proteínas parece ser de importância vital para a perda de peso e manutenção do peso. Proteínas diferentes causam diferentes respostas relacionadas aos hormônios orexígenos.

Vários trabalhos têm mostrado que as proteínas favorecem o processo de redução da gordura corporal, por meio de mecanismos associados ao cálcio, e por apresentar altas concentrações de BCAA.

As proteínas são ricas em cálcio. Diversos estudos epidemiológicos têm verificado uma relação inversa entre a ingestão de cálcio, proveniente do leite e seus derivados, e a gordura corporal. Uma provável explicação seria que o aumento no cálcio dietético reduz as concentrações dos hormônios calcitrópicos. Em altas concentrações, esse hormônio estimula a transferência de cálcio para os adipócitos. Nos adipócitos, altas concentrações de cálcio levam à lipogênese (síntese de novo) e à redução da lipólise. Portanto, a supressão dos hormônios calcitrópicos mediada pelo cálcio dietético, pode ajudar a diminuir a deposição de gordura nos tecidos adiposos.

Em síntese, as proteínas interferem positivamente na redução de gordura em função de seu alto teor de cálcio – e, consequentemente, pela atuação deste sobre os hormônios calcitrópicos- e por agirem sobre os hormônios da saciedade, CCK e GLP-1. A utilização de proteínas em dietas para perda de peso auxilia o controle da glicemia e a preservação da massa muscular devido às altas concentrações de BCAA.

Este texto foi escrito por Suélika Carvalho, baseado em artigos científicos.
Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido.
Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.
Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.