Vasodilatação: Arginina x Citrulina

O grande volume de treinamento e frequência de competições impulsionam a utilização de recursos ergogênicos para o melhor rendimento dos atletas no exercício. Entende-se por recursos ergogênicos substâncias usadas na tentativa de aumentar a potência física, a força mental e a eficácia mecânica. Como requer altíssima demanda energética durante o exercício físico, atletas podem necessitar receber nutrientes não só por meio da alimentação tradicional, mas complementarmente por meio da ingestão dos suplementos nutricionais.
Atualmente, um número crescente de pesquisas investiga a relação da suplementação de aminoácidos isolados sobre o desempenho físico. Dois aminoácidos, que vêm sendo amplamente estudados, são a L-arginina e a L-citrulina e ambos têm sido relacionados à vasodilatação. Na vasodilatação ocorre um aumento do calibre dos vasos sanguíneos, promovido pelo óxido nítrico, o que gera aumento da perfusão sanguínea muscular, assim, favorece o acréscimo de aporte de nutrientes e oxigênio para os músculos esqueléticos e facilita a retirada de metabolitos derivados do exercício físico.
O óxido nítrico (NO) é um radical livre, gasoso, inorgânico e incolor. Esse gás é sintetizado por diferentes células do nosso organismo, particularmente as células endoteliais, os macrófagos e alguns neurônios, e possui uma importante função sinalizadora intra e extracelular. Muitos estudos explanam-no como agente responsável pela vasomotricidade intrínseca, relaxamento e regulação do tônus vascular com efeitos na perfusão sanguínea muscular, na utilização celular de oxigênio e glicose (respiração mitocondrial), na função plaquetária e no crescimento celular (hipertrofia muscular), fatores que podem impactar fadiga muscular e performance.
A produção de NO no organismo humano ocorre quando o aminoácido L-arginina é convertido em L-citrulina numa reação catalisada pela enzima óxido nítrico sintetase (NOS).A ativação da NOS pode ocorrer através de estímulos químicos, os quais são originados da interação de receptores específicos presentes nas células endoteliais com algumas substâncias sinalizadoras (acetilcolina, ATP e a bradicinina)ou por ativação de estímulos físicos, originados da força que o sangue exerce nas paredes arteriais (estresse por cisalhamento). Dessa maneira, os barorreceptores, presentes na camada endotelial, são ativados e estimulam a conversão da arginina à NO e citrulina. O NO produzido na célula endotelial difunde-se rapidamente para célula muscular e para o lúmen vascular. No interior da célula muscular, o NO interage com a enzima guanilil-ciclase, tornando-a ativa. A enzima ativa catalisa desfosforilação da molécula de guanosina trifosfato (GTP) gerando guanosina monofosfato cíclica (GMPc). O aumento da concentração de GMPc na célula muscular, estimula a receptação do cálcio no retículo sarcoplasmático, resultando no relaxamento da musculatura e conseguintemente aumento do vaso sanguíneo.
De uma maneira geral, estudos científicos explanam o efeito potencial da arginina na produção do óxido nítrico promovendo a vasodilatação nos vasos sanguíneos da musculatura esquelética. No entanto, a arginina é utilizada por uma série de vias metabólicas que produzem uma variedade de compostos biologicamente ativos, o que demonstra uma grande limitação na obtenção de resultados positivos para ser capaz de proporcionar um efeito sobre a função endotelial. Porém, algumas evidências cientificas sugerem que a administração oral de arginina ainda está relacionada com a melhora do desempenho físico por reduzir a concentração plasmática de amônia e lactato, retardar a fadiga e o desconforto provocado pelo acúmulo desses catabólitos na musculatura e reduzir o tempo de recuperação muscular pós-exercícios.
A citrulina é outro aminoácido conhecido pela sua função vasodilatadora. O uso da suplementação de citrulina é apontado por alguns estudos como mais eficaz que o de arginina. Evidências cientificas aludem que a suplementação de citrulina aumenta a concentração de plasma de L-arginina, sem que haja desvios de rotas para a produção de NO.
Considerando-se que a utilização de substâncias vasodilatadoras é uma estratégia interessante para o aumento da performance e melhora na recuperação de praticantes de atividade física, apesar dos estudos ainda não serem totalmente conclusivos para a suplementação destes dois aminoácidos, as evidências apoiam expectativas promissoras, sendo necessário mais pesquisas científicas com protocolos definidos que determinam resultados positivos para a função vasodilatadora desses aminoácidos para o melhor desempenho físico.

Este texto foi escrito por Maiara Guimarães, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido.
Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.
Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *