Sem categoria

Proteínas e o seu papel biológico

As proteínas são substâncias contendo nitrogênio que são formadas por aminoácidos que servem como o principal componente estrutural do músculo e de outros tecidos do corpo; além disso, são utilizadas para produzir hormônios, enzimas e hemoglobina. As proteínas também podem gerar energia, embora esta não seja a sua principal função. Para que sejam utilizadas pelo corpo, as proteínas necessitam ser metabolizadas até a sua a forma de aminoácidos.

O consumo de proteínas pela população vem sendo estudado ultimamente. Atletas que praticam atividades de força/explosão e de endurance (atividades de resistência) exigem um maior consumo de proteína do que a população em geral. Além disso, dietas ricas em proteínas também se tornaram bastante populares como parte de programas de redução de peso. Indivíduos que se dedicam ao treinamento de resistência com pesos, sejam como atletas profissionais ou desportistas, podem se beneficiar da ingestão de proteínas, na sua forma integral ou como aminoácidos, para obter diferentes objetivos, desde emagrecimento até a hipertrofia. Alem disso, a ingestão de fontes proteicas de origem animal produz peptídeos bioativos, que são fragmentos da proteína que  exercem funções biológicas que vão além da função nutricional; Dentre estas ações, se destacam: ação anti-hipertensiva, imunomodulatória, antioxidante e antitrombótica.

Sabe-se que as proteínas têm um importante papel na reparação tecidual e no ganho de massa muscular. Um aporte inadequado de proteínas ao longo do dia pode afetar negativamente a composição corporal, uma vez que uma baixa ingestão altera o ‘turnover proteico’ (processo de renovação da proteína corporal que engloba tanto a síntese quanto a degradação), gerando maior catabolismo muscular e, consequentemente, maior degradação e perda da musculatura.

Além da quantidade, a qualidade da proteína também é um fator que deve ser considerado. Uma proteína de boa qualidade ou de alto valor biológico é aquela que fornece boa digestibilidade, quantidades adequadas de aminoácidos essenciais e de nitrogênio total. O grau de digestibilidade é medido pela porcentagem de proteínas que são hidrolisadas pelas enzimas digestivas e absorvidas pelo organismo na forma de aminoácidos ou qualquer outro composto nitrogenado. Já o perfil de aminoácidos de uma proteína é avaliado pelo capacidade de satisfazer os requerimentos nutricionais do homem por aminoácidos essenciais e nitrogênio não-essencial, para fins de síntese proteica. Neste contexto, as proteínas de origem animal levam vantagem sobre as proteínas de origem vegetal.

Sendo assim o consumo de proteínas em uma quantidade adequada para as necessidades do individuo está relacionado com diversas benefícios. Situações que exigem maior aporte proteico, como na pratica de atividade física, devem ser consideradas no momento de estabelecer o consumo proteico diário. Para isso, é importante a procura por um profissional da área de nutrição já que este é o único capacitado para tal finalidade.

Esse texto foi escrito por Nicolas Riela, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado por ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br. Respeito nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.
Acompanhe nossas redes socias e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.