Sem categoria

BCAA e Sistema Imune

Os aminoácidos de cadeia ramificada (BCAAs ou ACR) incluem a leucina, isoleucina e valina e são aminoácidos essenciais chamados de ramificados devido à presença de cadeia lateral alifática. Diferentemente da maioria dos aminoácidos, os BCAAs são minimamente metabolizados no fígado, visto que a maior parte deles é metabolizada nos músculos esqueléticos, tecido adiposo e cérebro. No esporte, os BCAAs são muito conhecidos por seus possíveis efeitos anticatabólicos, diminuição da fadiga e melhora da performance de atletas. Entretanto, evidências sugerem que os BCAAs também têm papel importante no metabolismo muscular, levando à produção de glutamina a partir da fixação de amônia.

Embora o exercício do tipo moderado seja associado à melhora da atividade do sistema imunológico, exercícios intensos e de longa duração são associados à imunossupressão e aumento do risco do desenvolvimento de infecções subsequentes, especialmente do trato respiratório superior. Embora os efeitos imunomoduladores do exercício ainda serem pouco elucidados, exercícios de endurance levam à diminuição da concentração plasmática de glutamina. A glutamina é um aminoácido condicionalmente essencial e é um importante substrato para o funcionamento adequado de células intestinais e do sistema imune, como macrófagos e linfócitos, sendo utilizado como fonte de energia e precursor da síntese de ácidos nucleicos.
Nesse contexto, a suplementação de BCAA tem apresentado efetividade em evitar tais efeitos deletérios sob o sistema imunológico e susceptibilidade a infecções entre atletas de endurance. Isso acontece porque os BCAAs atuam como doadores de nitrogênio para síntese de glutamina no músculo, representando a principal fonte de nitrogênio para esse processo. Assim, a suplementação de BCAA além de estar associada, em muitos estudos, ao aumento dos níveis desses aminoácidos também promove o aumento da produção de glutamina, levando a maior produção de amônia muscular. De forma simplificada, esses aminoácidos fornecem grupos do tipo amino para formação de glutamato que participa da síntese de glutamina através da ação da glutamina sintetase, enzima que tem sua atividade aumentada pela suplementação de BCAA. Estudo com 12 triatletas de elite observou maior resposta proliferativa de células do sistema imunológico em resposta a mitógenos após treino intenso de longa distância, diminuindo o risco de infecções. Além da importância dos BCAAs na produção de glutamina, alguns estudos sugerem que esses aminoácidos também atuam como moléculas sinalizadoras, sendo possivelmente capazes de estimular o processo de biogênese mitocondrial, melhorando o metabolismo energético, e combate a espécies reativas de oxigênio.

Os efeitos benéficos da suplementação de aminoácidos de cadeia ramificada no esporte para diminuição do catabolismo muscular e redução da fadiga são largamente estudados na literatura científica. Entretanto, os efeitos imunomoduladores do exercício e os possíveis benefícios da suplementação de BCAA ainda são pouco elucidados, necessitando-se de mais estudos consistentes para melhor entendimento desses eventos e melhor manejo da saúde imune de atletas de exercícios intensos e de longa duração.

Este texto foi escrito por Laís Barreto Vieira, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco pelo e-mail nutrição@sncsalvador.com.br. Respeito nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.