Sem categoria

Whey Protein: multifuncional

As proteínas são de suma importância para o funcionamento do organismo e para a nutrição humana, sendo necessária em uma infinidade de processos orgânicos fundamentais para a garantia da vida. Elas são indispensáveis, por exemplo, na formação, no crescimento e no desenvolvimento de tecidos corporais, na formação de enzimas que regulam a produção e a geração de energia, sobretudo quando os estoques de carboidratos estão baixos.

Dentre tais, destaca-se a proteína do soro do leite ou whey protein (WP), do inglês, que tem sido muito utilizado por atletas, praticantes de atividades físicas, pessoas fisicamente ativas e até mesmo portadores de doenças, que vêm procurando benefícios nessa fonte proteica. A ciência, por sua vez e importância, tem estudado muito para identificar e investigar suas multifunções.  Muito parte disso se deve à qualidade nutricional desta proteína, que se torna eminente por características como alto valor biológico, perfil de aminoácidos essenciais, potentes peptídeos bioativos e uma excelente concentração de cálcio (cerca de 600mg por 100g de concentrado proteico), o que o torna uma alternativa relevante para obenção desse mineral às pessoas que não consomem leite, como os intolerantes.

A partir disso, de forma mais detalhada podemos fazer algumas importantes considerações:

Presentes em todos os tipos de leite, a proteína do leite bovino contém cerca de 20% de soro do leite – o que pode variar de acordo com alguns critérios, como raça do gado e origem – e com base na sua estrutura molecular e digestibilidade é considerado uma proteína “rápida”. Este é um fator determinante nos níveis de leucina disponíveis para utilização; de acordo com alguns estudos, uma rápida aminoacidemia (aminoácidos no sangue) estimula a síntese de proteínas intramusculares e aumenta o estímulo para uma cascata de sinalização de formação de proteínas de forma mais eficiente. Whey possui um teor muito significativo de leucina, aminoácido considerado em alguns estudos como ‘’chave para a sinalização de crescimento muscular’’. Diversos públicos podem colher os benefícios de consumir um produto que lhe proporciona – junto com outros fatores, como a atividade de força – um incremento na musculatura esquelética. O que vai além dos atletas e entusiastas dos esportes, os idosos, como bom exemplo, podem desfavorecer o processo natural de diminuição do tecido muscular (de nome sarcopenia) ao associar o consumo de fontes proteicas como whey (que se destacou em relação a outras proteínas em estudo) e atividade física frequente.

Muito além de ajudar no ganho de massa muscular, whey protein confere benefícios à vida de portadores de doenças, como evidenciado de maneira vasta na literatura científica. Esse ‘’poder’’ de whey vem das suas frações e subfrações, mais comumente referidas como peptídeos bioativos. Entre eles têm-se as imunoglobulinas, os glicomacropeptídeos, alfalactoalbumina, lactoferrina.. Que com especialidades distintas, são reportados como imunomoduladores, úteis, inclusive, na terapia de tratamento de portadores do vírus do HIV, anticancerígenos, antioxidantes, protetores cardíacos, melhoradores do desempenho físico, entre outros.

Ainda parece distante das pessoas o conhecimento que WP pode lhes ser útil também no processo de emagrecimento. E isso já é mostrado na ciência! Os ‘’600 mg de cálcio’’ aludidos no início do texto, verbi gratia possui uma relação importante com a perda de gordura. Diversos estudos epidemiológicos têm verificado uma relação inversa entre a ingestão de cálcio, proveniente do leite e seus derivados, e a gordura corporal. Uma provável explicação seria que o aumento no cálcio dietético reduz as concentrações dos hormônios calcitrópicos, que são hormônios que em grande quantidade estimulam a transferência de cálcio para os adipócitos (células de gordura).

Nos adipócitos, altas concentrações de cálcio levam à lipogênese (formação de gordura) e à redução da lipólise (quebra de gordura). Portanto, a supressão dos hormônios calcitrópicos mediada pelo cálcio dietético, pode ajudar a diminuir a deposição de gordura nos tecidos adiposos. Adicionalmente, o teor de aminoácidos de cadeira ramificada (BCAA) que auxiliam o metabolismo energético desfavorecendo o acúmulo de gordura e diminuem o catabolismo muscular (quanto mais músculos, mais eficiente e sustentável o emagrecimento!) e o estímulo a hormônios (CCK e GLP1) que conferem saciedade fazem de whey uma excelente opção para o controle de peso e para a redução de gordura.

Deste modo anunciamos algumas das vantagens reconhecidas para o uso de whey protein como um suplemento alimentar, não só para o anabolismo muscular, mas para a saúde, numa dimensão bastante ampla. A divulgação do conhecimento é muito importante para que possamos explorar melhor as possibilidades quando o assunto é nutrição e bem estar. Contudo, procure sempre o profissional nutricionista para te orientar sobre o que é melhor para você. Lembre-se: somos únicos quando o assunto é organismo.

“Este texto foi escrito por Juliana de Andrade, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)”

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.