Sem categoria

Yoga e Síndrome Metabólica

A Síndrome Metabólica é um transtorno caracterizado pela presença de pelo menos três dos fatores de risco a ela associados: glicemia de jejum, triglicérides, pressão arterial e circunferência abdominal elevados e redução do colesterol HDL. É muito bem elucidado pela ciência que a prática regular de atividades físicas e uma alimentação equilibrada são elementos-chave para a manutenção da saúde e, consequentemente, para a redução de tais fatores.

O Yoga é uma prática oriental milenar, que tem como objetivo principal a integração do ser, promovendo o equilíbrio na saúde física, mental, emocional e espiritual, através de técnicas de respiração (Pranayama), posturas (Asanas) e meditação. Existem diversas vertentes na prática do Yoga, combinando elementos de atividade física e relaxamento, cada uma com intensidades e ênfases diferentes.

Recentemente, a literatura vêm mostrando os possíveis benefícios da prática regular do Yoga na redução dos fatores de risco da Síndrome Metabólica. A coordenação entre movimentos corporais e respiração parece estabilizar o eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA), marca neuroendócrina da resposta ao estresse, além de atuar diretamente na imunidade e na diminuição de marcadores da inflamação.

Estudos recentes vêm aplicando diversos protocolos, baseando-se em diferentes segmentos do Yoga, e os resultados demonstram efeitos positivos da prática na redução de colesterol total e LDL, pressão arterial sistólica e diastólica, dobras cutâneas e, de forma menos significativa, a glicemia de jejum. Além, é claro, da atenuação de fatores psicológicos, como ansiedade, estresse e depressão. Algumas evidências comparam, ainda, os efeitos proporcionados pelo Yoga e pelo exercício aeróbico e apesar de divergências, os resultados apontam efeitos muito similares entre as duas práticas. Além disso, são conhecidos os efeitos estimulantes do exercício físico no Sistema Nervoso Simpático (SNS), que levam ao aumento nas concentrações plasmáticas de epinefrina e norepinefrina. O Yoga, por outro lado, tem mostrado efeitos depressores no SNS, diminuindo os níveis destes neurotransmissores.

A prática do Yoga é cada vez mais notória no Ocidente e, portanto, é crescente o número de estudos que avaliam seus impactos na saúde global. No entanto, considerando as poucas evidências ainda disponíveis, o Yoga não é proposto como estratégia única no tratamento da Síndrome Metabólica, obesidade e doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), mas sim como um excelente adjuvante ao exercício aeróbico e à alimentação balanceada.

Para obter sucesso neste seguimento, procure um instrutor capacitado através do curso de formação em Yoga.

Este texto foi escrito por Júlia Canto, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido.
Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.
Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.