Sem categoria

Adoçantes Naturais

O surgimento dos adoçantes naturais, veio com proposta de redução do consumo de açúcares e adoçantes artificiais, devido ao mercado e consumidores mais exigentes. São eles: polióis, estévia e taumatina.

Das vantagens existentes nesse tipo de adoçante, a baixa quantidade de calorias é destacada, podendo ser utilizado por diabéticos e indivíduos em dietas restrita de açúcar. Os açúcares em geral possuem 4kcal/g, enquanto os polióis contêm em média 1 a 2,5kcal/g, já a estévia é considerada um adoçante não nutritivo, ou seja, sem calorias.

Saiba agora as principais características desse tipo de adoçante:

Estévia é um subarbusto, do qual os índios já utilizavam para adoçar bebidas medicamentosas. Em suas folhas estão presentes muitos glicosídeos, o reaubausídeo e os esteviosídeos são os principais. É estável, não-calórico, não-cariogênico e pode ser utilizado por diabéticos, indivíduos com sobrepeso e obesidade, além dos fenilcetonúricos.

Os polióis são ingredientes resistentes as bactérias encontradas na boca que quebram açúcar. São eles: o xilitol, sorbitol, eritritol, maltitol, lactitoil e isomalte. Resultam da hidrogenação catalítica do grupo redutor de um sacarídeo específico, facilmente acessível como a glicose por exemplo. Eles são resistentes ao escurecimento, derretem na boca e causam a sensação de refrescância. Entretanto, em excesso, doses acima de 20g por momento, ou 60g por dia, podem ter efeito laxante. Dentre os polióis, o xilitol é o mais comercializado no Brasil atualmente. É anticariogênico e além de ser adoçante, contribui para restaurar o equilíbrio ácido/alcalino da boca.

A taumatina é uma proteína com alto potencial de dulçor, proveniente da fruta Katemfe de origem Africana. A adição desse adoçante aos alimentos diminui o sabor amargo, sem mudar a percepção do sabor ácido.

O sabor doce de adoçantes artificiais ainda que não possuam glicose, estimulam o aumento do hormônio GLP1 que aumenta a absorção de glicose. Esse efeito tem sido estudado para os adoçantes naturais também, por isso, embora seja de fonte natural, o ideal é evitar excessos.

É importante lembrar que alguns tipos de adoçantes artificiais ou naturais podem conter alguma especificidade a determinados grupos de indivíduos, portanto, é importante prezar pela individualidade. Para saber quais são suas necessidades nutricionais e ajustá-las, o ideal é procurar um nutricionista.

Este texto foi escrito por Caroline Lima, integrante da equipe de nutrição da SNC-Salvador, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail: nutricao@sncsalvador.com.br. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.