Sem categoria

Nutrindo a mente!

Sabemos hoje os benefícios que a nutrição e a suplementação adequadas podem trazer para nossa saúde. Sono regulado, intestino funcionando perfeitamente, prevenção de doenças crônicas, imunidade fortalecida, além de energia e bem estar para desempenhar as tarefas diárias são apenas alguns desses benefícios.

Só de mudar os hábitos alimentares, escolhendo melhores alimentos fonte de carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e sais minerais, qualquer pessoa já veria benefícios quanto a concentração, raciocínio, memória e disposição para exercer suas atividades intelectuais. É de extrema importância assegurar uma dieta equilibrada que atenda as necessidades individuais, visto que, alguns macronutrientes e micronutrientes são fundamentais para a homeostase cerebral. Dentre estes nutrientes, encontram-se as proteínas como construtoras das redes neuronais e as gorduras poli-insaturadas, como as gorduras W-3, principalmente o DHA, que é acumulado no cérebro durante todo o crescimento cerebral e maturação das células nervosas, essencial no controle estrutural e funcional do tecido nervoso. Baixa concentração de ômega-3 está associada a menor produção de ácido 5-hidróxiindolacético(5-HIAA), que é o principal metabólito da serotonina e um indicador de seu reabastecimento. Além disso, há também associação com o aumento dos indicadores de inflamação que por sua vez, tem sido associado com a depressão. A Deficiência de alguns micronutrientes -Vitamina B1; B12; Vitamina D,Vitamina E; Zinco e ferro – é capaz de afetar diretamente a saúde cognitiva, aumentar a incidência de doenças e risco de neuropatias e declínio cognitivo.

O exercício é um fator fundamental, já que além de promover adaptações em estruturas cerebrais, há aumento do fluxo sanguíneo para região, por conseguinte, com o aporte de nutrientes, há aumento na atividade de neurotransmissores e melhora direta da resposta cognitiva. Pessoas fisicamente ativas parecem apresentar maior ativação em áreas cerebrais específicas, sugerindo a existência de maior rede de estruturas neurais em diversas regiões cerebrais em decorrência da atividade física regular.

Hoje temos estudos sólidos a respeito de substâncias que podem potencializar a capacidade cognitiva, além de prevenir doenças neuro-degenerativas (como o mal de Alzheimer). Algumas dessas substâncias tem sido utilizadas há anos com o intuito de melhorar a performance no exercício. Entre elas podemos citar a creatina, beta-alanina e a L-carnitina. Tratando-se da creatina, a cada ano temos mais estudos interessantes mostrando sua ação na proteção cerebral, sendo uma suplementação muito indicada para pessoas com mais de 60 anos. Resveratrol, coenzimaQ10 e curcumina, conhecidos pela capacidade antioxidante, também apresentam ótimos efeitos para reduzir o declínio da resposta cognitiva que naturalmente acontece com o envelhecimento.

O desempenho cognitivo muitas vezes é acentuado pela exposição ao estresse crônico. O cortisol é um hormônio produzido em situações de estresse fisiológico, e sua produção exacerbada pode ter um efeito deletério ao sistema nervoso central. A serotonina é um hormônio que exerce influência direta na modulação do cortisol, porém, para que sua produção seja adequada, depende de alguns fatores, como a ingestão do aminoácido L-triptofano. O triptofano é um aminoácido essencial encontrado na maioria dos alimentos que contém proteína; é o precursor do neurotransmissor serotonina, a qual está envolvida, entre outros aspectos, com a regulação do humor, da depressão e o estado de alerta. Muitas vezes, suplementos de triptofano são utilizados para ajudar a otimizar o sono, ou ainda, como coadjuvante em tratamentos antidepressivos atuando diretamente na melhora da saúde mental.

Muitos pesquisadores sugerem que a disfunção cognitiva pode ser prevenida ou retardada aumentando o conteúdo de antioxidantes na alimentação (vitamina C, E e betacaroteno). Há várias razões que reforçam essas afirmações, uma delas é que estudos bioquímicos e fisiológicos mostram que doenças degenerativas produzem dano oxidativo na microvascularização do sistema nervoso central. Portanto, é de suma importância aumentar a ingestão de frutas e vegetais na dieta, visto que, esses alimentos são as fontes primárias de antioxidantes e micronutrientes.

Atentar-se a otimizar a saúde cerebral através de estratégias nutricionais pode desenvolver o cérebro e suas plenas capacidades, corrigir e prevenir desvios de inteligência!

Este texto foi escrito por Felipe Cyrino, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido.
Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.
Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.