#maislife Health Nutrition Nutritions Promoções e Vantagens Suplementos Workouts

Picolinato de Cromo X Resistência à Insulina

Resistência à insulina (RI) é um termo que define a situação em que a insulina que circula no sangue não consegue exercer sua atividade íntegra nos receptores. Esse hormônio é responsável por controlar as taxas de glicose no sangue, sendo assim, é papel desse hormônio garantir a entrada de glicose nos diversos órgãos e tecidos. Quando se é resistente à insulina, o pâncreas produz o hormônio com o estímulo gerado pelo nutriente, porém sua ação é limitada, ou seja, parte da glicose não é capaz de entrar nas células dos tecidos e como consequência, acumula no sangue.

O cromo é intrinsecamente envolvido no metabolismo dos carboidratos e das gorduras. Dessa forma, sua deficiência na dieta tem sido fortemente relacionada com a RI e outras alterações fisiológicas. Sua principal função é potencializar os efeitos da insulina e desse modo, alterar o metabolismo de carboidratos, lipídios e aminoácidos.

Esse mineral-traço essencial é encontrado em pequenas quantidades em alguns alimentos como oleoginosas, carnes, cereais integrais e leguminosas, além disso, sua biodisponibilidade é baixa. Ou seja, apenas uma pequena parte do cromo que for ingerido, será absorvido. Já o picolinato de cromo é uma forma do cromo, ao qual é ligado ao ácido picolínico, pode assim servir para melhorar a absorção deste mineral.

A relação entre o cromo e a insulina é explicada pelos estudos da seguinte maneira: O cromo se liga à proteína apocromodulina, tornando-a ativa na forma de cromodulina, que acopla ao sítio ativo no receptor insulínico para completar a ativação do mesmo e desta forma, há amplificação do sinal da insulina, fazendo com que a glicose seja captada de maneira mais eficaz.

Estudos clínicos sugerem que a capacidade do cromo de potencializar os efeitos da insulina, é efetiva principalmente em população diabética, sendo assim, sua suplementação é muito estudada em indivíduos portadores de Diabetes Mellitus do tipo 2.

Em 1977 foi documentado um caso onde uma paciente apresentava sintomas graves similares aos sintomas de diabetes. Além disso, foi observado perda de peso, RI e mesmo com a utilização de 50 unidades de insulina exógena por dia, a paciente não reagia positivamente ao tratamento. Quando foi ofertado 200mcg de cromo por um período de três semanas, os sintomas semelhantes ao diabetes foram diminuídos, além disso, foi suspenso o uso de insulina, por não haver mais necessidade.

Com isso, iniciou-se os estudos de picolinato de cromo para melhora de RI. E hoje, já é bem elucidado pela literatura que uma concentração de 200mcg – 600mcg/dia, pode trazer benefícios no controle dos níveis de glicose e insulina exógena, mostrando assim que a suplementação de picolinato de cromo pode ser benéfica para indivíduos com RI. Para melhor aplicabilidade suplementar, busque acompanhamento nutricional.

Este texto foi escrito por Felipe Araújo, integrante da equipe de nutrição da SNC-Salvador, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail: nutricao@sncsalvador.com.br. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Posts relacionados

Modulação Insulínica: Da definição à gordura localizada

Daniel Franco

Suplementação de Creatina com ATP?

Felipe Carpintero

Resistência à insulina no hipotálamo

Ismael

Deixe um comentário