Sem categoria

Câncer de mama, livre-se!

Passado o mês que marca a conscientização da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, os cuidados com hábitos alimentares que aumentam o risco de desenvolver tumores malignos tende a cair. E cabe a todos nós, tanto profissionais da área de saúde, quanto a população em geral, manter os cuidados e propagar informações verídicas sobre a capacidade da nutrição na prevenção e na melhora do desfecho da doença.

O QUE É O CÂNCER:

O câncer é o tumor formado a partir de uma proliferação celular extremamente rápida e descontrolada.

FISIOPATOLOGIA:

A formação desse tumor tem duas origens bem descritas na literatura, a primeira são as alterações genéticas, que ocorrem mediante a danos no DNA (Ácido Desoxirribonucleico), ou por alterações epigenéticas, que seriam de forma resumida, a ativação do gene que contém a informação da pré-disposição ao câncer. Ambas situações podem ser provocadas por um estresse oxidativo elevado, inflamação, contato com xenobióticos, entre outros fatores.
No câncer de mama (CM) em específico, a obesidade é um forte fator de risco. Capaz de elevar a atividade de enzimas que aumentam os níveis de estrógenos (que possui relação direta com o agravamento da doença) e promover estado inflamatório, o excesso de tecido adiposo é fator de risco inclusive para o CM em homens.

EPIDEMIOLOGIA:

A magnitude do câncer de mama alcança números alarmantes, são aproximadamente 1.380.000 pessoas diagnosticadas por ano, sendo 458.000 com o desfecho de óbito. Isso equivale a metade da população de salvador sendo diagnosticada com essa doença por ano!

NUTRIÇÃO VERSUS CÂNCER DE MAMA:

A nutrição detém importantes ferramentas que podem auxiliar tanto na profilaxia quanto na terapia do CM, entre elas, destacam-se com grande número de estudos, a vitamina D e o ácido graxo poliinsaturado ômega 3.
Esses compostos orgânicos são capazes de reduzir a inflamação por modularem mediadores pró inflamatórios e reduzirem o estresse oxidativo, podem também reduzir a conversão de testosterona em estrógeno, amenizar a proliferação celular, além de otimizar o processo de “limpeza” dessas células danificadas por meio da apoptose celular.
Além desses nutrientes citados acima, a coenzima Q10, o resveratrol e a cúrcuma podem ser sugeridos também, principalmente pensando em proteger as células dos danosos radicais livres. Esses compostos assim como o ômega 3 e a vitamina D possuem a capacidade de ativar Nrf2, um fator nuclear capaz de modular a resposta antioxidante do corpo.

O câncer de mama é um problema de saúde pública e os hábitos alimentares podem tanto te afastar quanto te deixar na zona de risco, não deixe de cuidar do bem mais precioso que possuímos. Procure um nutricionista, sua saúde agradece!

Este texto foi escrito por Glauber Henriques, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail: nutricao@sncsalvador.com.br. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Deixe um comentário