#maislife Health Mindblowing Stuffs Nutrition Nutritions Promoções e Vantagens Suplementos Workouts

Magnésio: Você não faz ideia do quanto ele é importante!

O magnésio (Mg) é um íon essencial para a saúde. Mg desempenha um papel importante na função fisiológica do cérebro, coração e músculos esqueléticos, e ainda, tem propriedades anti-inflamatórias. O Conselho de Alimentos e Nutrição dos Estados Unidos recomenda uma dosagem de 420 mg/dia para homens e 320 mg/dia para mulheres. Contudo, relatórios recentes estimam que pelo menos 60% dos americanos não consuma a quantidade diária recomendada de Mg. E você, será que consome?

Parte da dificuldade de se conseguir as dosagens necessárias decorre do solo usado para agricultura, que está se tornando cada vez mais deficiente em minerais. Nos últimos 60 anos, o conteúdo de Mg em frutas e legumes diminuíram em 20-30%. Além disso, a dieta ocidental contém grãos mais refinados e comida processada. As estimativas são de que 80-90% do Mg é perdido durante o processamento de alimentos. Como resultado, um número significativo de pessoas deficientes em Mg aumenta, o que pode incluir até 60% de pacientes gravemente doentes e inúmeras pessoas convivendo com a deficiência de magnésio sem sequer desconfiarem. E, como você pode saber se está deficiente?

A deficiência de Mg é comumente determinada medindo as concentrações séricas totais de Mg. No entanto, os valores séricos de Mg refletem apenas 1% do conteúdo do magnésio no corpo, já que a maior parte do magnésio no corpo é armazenado nos ossos, músculos e tecidos moles. Assim sendo, embora os valores séricos estejam dentro da faixa normal, o corpo pode estar em um estado severamente empobrecido em Mg. Consequentemente, o impacto clínico da deficiência de Mg pode ser amplamente subestimada.

Contudo, existem sinais clínicos que podem ser associados à deficiência de Mg. Entre eles podem ser observados: Problemas para dormir; Cansaço excessivo; Problemas de pele; Sentir muito sono após o almoço; Continuar com sono mesmo depois de mais de 8 horas de sono; Alterações no humor; Desejos por alimentos específicos; Batimentos cardíacos irregulares; Espasmos musculares; Entre outros.

Atualmente, bancos de dados enzimáticos listaram mais de 600 enzimas para as quais o Mg serve como cofator, e um adicional de 200 em que Mg pode atuar como ativador. O magnésio é crucial para o metabolismo energético, é necessário para o DNA e Síntese de RNA, reprodução e síntese de proteínas. Além disso, o magnésio é essencial para a regulação da contração muscular, pressão arterial, metabolismo da insulina, excitabilidade, tônus vasomotor, transmissão nervosa e condução neuromuscular.

Por participar de tantas reações no organismo, baixos níveis de magnésio foram associados com um número de doenças crônicas, como doença de Alzheimer, resistência à insulina e diabetes de tipo 2, hipertensão, doença cardiovascular (por exemplo, acidente vascular cerebral), enxaqueca, e transtorno do déficit de atenção e hiperatividade. Olha como um nutriente tão pequeno consegue ser tão importante!

Lembrando que não é necessário ter alguma das doenças acima citadas para se preocupar com a deficiência de magnésio. Se você se identificou com 2 ou mais dos sinais clínicos associados à deficiência de magnésio, busque um(a) nutricionista para que ele(a) trace uma estratégia para evitá-la e tenha sua vida melhorada por esse nutriente maravilhoso!

Este texto foi escrito por Felipe Araújo, integrante da equipe de nutrição da SNC-Salvador, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail: nutricao@sncsalvador.com.br. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Posts relacionados

Hipoglicemia de Rebote

Jaqueline Almeida

Você sabe o que é Crossover Metabólico?

Glenda Oliveira

Creatina e Produção Energética

Camila Rheinschmitt

Deixe um comentário