Sem categoria

Nutrientes ideais para impulsionar a saciedade

Muitas pessoas queixam que não ficam satisfeitas após as refeições e utilizam esse argumento para consumir mais alimentos, na maioria das vezes acabam exagerando no valor calórico, acarretando em diversas complicações metabólicas. Mas será que consomem os alimentos corretos?

O apetite é controlado por uma sequência complexa de interações entre o ambiente externo, perfis psicológicos, respostas fisiológicas e mecanismos neurais. A saciedade é um prolongamento do intervalo entre as refeições. Apetite e saciedade são estados transitórios, e a disponibilidade de alimentos e bebidas, ou mudanças no contexto social podem interferir na sensação de saciedade, tornando o controle sobre o comportamento alimentar muito difícil. No entanto, alimentos que aumentam a saciedade pode potencialmente ajudar na redução da ingestão de energia, aumentar a adesão das dietas de emagrecimento e assim, promovem a perda de peso.

Levando em consideração a composição dos alimentos, as refeições que possuem um baixo teor de fibras, pouca quantidade de proteínas e de gorduras, tendem a possuir um menor poder sacietogênico, pois as proteínas e gorduras retardam o esvaziamento gástrico, fazendo com que mantenha por mais tempo os estímulos de volume alimentar no estômago, promovendo o feedback via mecanismos hormonais que darão a sensação de satisfação. Além disso, o efeito benéfico da fibra dietética na saciedade está relacionado com suas propriedades física e química, tais como o seu efeito de volume e viscosidade.

O teor de proteína da dieta influencia a saciedade através de mecanismos homeostáticos ativados no trato gastrointestinal pós-absorção e no hipotálamo. No intestino, a detecção de proteínas no duodeno estimula a liberação de colecistocinina, que resulta na ativação de circuitos neuronais relacionado à saciedade. Quando a proteína atinge partes distais do trato gastrointestinal podem ser ativadas o freio ileal, um mecanismo que inibe a motilidade gastrointestinal e estimula a liberação de hormônios que mediam a saciedade, como Peptídeo YY e Peptídeo Semelhante ao Glucagon 1 nas células-L na região do íleo. Além disso, a proteína estimula maior termogênese induzida pela dieta do que carboidrato ou gordura, o que pode contribuir para o aumento do gasto calórico.

A Grelina é um hormônio secretado pelo estômago e aumenta a fome. Em casos de obesidade, muitos indivíduos apresentam resistência a um outro hormônio, a Leptina (hormônio que aumenta a saciedade após a ingestão alimentar). Com isso, em algumas situações de resistência à Leptina, há dificuldade de alcançar a saciedade, ocorrendo uma grande liberação de Grelina e elevação da vontade de ingerir alimentos. Ademais, liberação de hormônios intestinais como GLP-I e GIP também podem promover o controle da saciedade e são liberados em respostas a ingestão de alimentos.

Portanto,  a combinação correta dos alimentos e o modo de preparo são cruciais, a ingestão de proteínas, por exemplo, pode aumentar a saciedade, pois causa maior efeito estimulante nos hormônios gastrointestinais. Além disso, os hormônios liberados em resposta ao comportamento alimentar possuem grande influência quando tratamos de controle de apetite e saciedade.

Este texto foi escrito por Luiz Alberto Sena, baseado em artigos científicos.

Todo o material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos, mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Deixe um comentário