Laranja Amarga

A laranja amarga (Citrus aurantium) é um fruto de origem asiática que popularmente foi utilizada como antiespasmódico, vermífugo, regulador do sistema digestório, entre outras funções. Há algum tempo ela tem sido estudada para controle do peso e melhora no desempenho esportivo, devido a presença da sinefrina em sua composição. A sinefrina é um protoalcalóide que possui a estrutura química semelhante à efedrina, substância que passou a ser contraindicada em 2003 pela FDA nos Estados Unidos por causar efeitos deletérios à saúde.

A sinefrina estimula os receptores β-3 adrenérgicos, esses receptores estão em grande quantidade no tecido adiposo, dessa forma ela auxilia no aumento da termogênese e lipólise. Além disso, esse protoalcalóide estimula a quebra do glicogênio hepático, a captação de glicose pelo músculo e a disposição, melhorando o desempenho esportivo.

Diferentemente da efedrina, a sinefrina não estimula o sistema nervoso central e não ativa os receptores adrenérgicos α-1, α-2, β-1 e β-2, não causando efeitos cardiovasculares como aumento da frequência cardíaca e de pressão arterial.

A sinefrina também auxilia no controle do apetite promovendo mais saciedade por diminuir a motilidade gastrintestinal, assim como os hormônios intestinais e auxiliar na contração dos esfíncteres. A naringenina e hesperidina também são componentes da laranja amarga que atuam no controle do peso por estimular a expressão gênica de adiponectina,  uma adipocina produzida pelo tecido adiposo que desempenha papel no controle do apetite, modula vários processos metabólicos, incluindo a regulação da glicemia e o catabolismo de ácidos graxos, além de ter efeito protetor contra a aterosclerose, apresentando propriedades antiaterogênicas e anti-inflamatórias.

Na laranja amarga ainda encontramos outros flavonóides como acetato de linalina e linalol; eles estão presentes majoritariamente nas flores e nas folhas dessa laranjeira e possuem grande afinidade pelos receptores GABA, logo, esses flavonoides se ligam a esses receptores e promovem efeitos ansiolíticos. Muitos estudos têm mostrado sua utilização para controle de ansiedade leve e moderada. 

De uma forma geral, os  estudos mostram que 600 mg do extrato da laranja amarga ou decocção de 2g da casa do fruto por 10 a 15 minutos podem ser utilizados de forma crônica para obter a maioria dos benefícios. No tocante ao efeito ansiolítico, o extrato da laranja amarga tem mostrado efeitos positivos em doses maiores, porém a utilização das folhas e das flores normalmente são mais indicadas para essa finalidade.

Este Texto foi escrito por Amanda Oliveira, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo email nutrição@sncsalvador.com.br.

Respeite o nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *